PUB
Propostas ecológicas
Segunda-feira, Junho 7, 2010

Os responsáveis pelo planeta Terra são os chefes das nações, que por vezes se reúnem em grandes cimeiras a discutir e a redigir programas cheios de boas intenções, que geralmente nunca passam do papel.

Responsáveis são também todos os cidadãos, pois cada um de nós pode fazer algo para que a Terra continue habitável, e se torne cada vez mais aquele paraíso perdido que toda a gente gostaria de encontrar.

Resumimos algo do que se poderia dizer em dois verbos: sensibilizar e agir.

1. Sensibilizar
Todos precisamos, sobretudo os que vivem nos grandes centros urbanos, de nos aproximar da natureza. Precisamos de sair do barulho da cidade e ir passear pelos caminhos da floresta, sentarmo-nos à beira dos rios e lagos, subir às montanhas para respirar um ar puro e contemplar belas paisagens.

Precisamos de parar para escutar ao vivo o canto das aves, para ouvir a melodia de uma fonte que jorra água fresca, para contemplar as plantas na sua variedade, para brincar com as ondas do mar limpo, para sentir o odor agradável das flores, para observar atentamente o esforço das laboriosas formigas, para nos maravilharmos com a variedade de plantas e animais.

Esta atitude perante a natureza faz-nos lembrar a atitude de Francisco de Assis, esse homem que conseguiu fazer-se irmão de todas as criaturas. Irmão do vento, da água, do fogo, das aves, dos animais. Este santo é para todos nós, hoje, uma fonte de inspiração porque se converteu em símbolo de protecção da natureza.

2. Agir
Em primeiro lugar, cada pessoa deve empenhar-se em viver pessoalmente uma vida ecológica. Esta vida ecológica baseia-se na harmonia e bom funcionamento de todos os elementos e partes do nosso organismo, tão maravilhoso e complexo. O nosso corpo é um ecossistema composto por múltiplos elementos fisico-químicos, biológicos, relacionais e espirituais. Todos eles, ao unirem-se, formam uma pessoa. Estes elementos devem viver harmonicamente.

Muitas vezes, de forma consciente ou inconsciente, levamos uma vida anti-ecológica. Sobretudo quando introduzimos elementos que prejudicam esta harmonia: o álcool em quantidades exageradas, a nicotina do tabaco em quantidades excessivas, substâncias alucinógenas, dietas pouco variadas. Ou então quando adoptamos formas ou hábitos de vida anti-ecológicos: descanso insuficiente ou então vida ociosa, refeições rápidas, angústia nos trabalhos que nos esperam, stress, solidão e ausência de amor, falta de ideais, falta de sentido para a vida.

Precisamos de ter uma vida saudável para o corpo e para o espírito.

Em segundo lugar, é necessário enfrentar os quatro desastres ecológicos de que falámos no último artigo.

Para enfrentar o “efeito estufa” é preciso poluir menos o ambiente. Por que não evitar o automóvel para utilizar mais os transportes públicos?

Para enfrentar o “buraco de ozono”, por que não deixar de utilizar qualquer spray?

Para enfrentar a “desertificação”, por que não plantar árvores, muitas árvores, não apenas no dia da árvore, mas todo o ano? E por que não utilizar papel reciclado?

Para enfrentar a “poluição”, por que não estarmos mais atentos quando se trata de nos libertarmos de detritos vários: pilhas, plásticos, etc.? Por que não pressionar as autoridades para que construam lixeiras?

O futuro do nosso Planeta está (também) nas nossas mãos!

MANDAMENTOS DA ECOLOGIA
1.º Amarás a Deus sobre todas as coisas e a natureza como a ti mesmo.
2.º Não defenderás a natureza apenas com palavras, mas sobretudo através de acções.
3.º Guardarás as florestas virgens, pois a tua vida depende delas.
4.º Honrarás a fauna, a flora e todas as formas de vida.
5.º Não matarás nenhuma classe de vida, por pequena e indefesa que seja.
6.º Não pecarás contra a pureza do ar, permitindo que as indústrias contaminem o que as crianças respiram.
7.º Não roubarás à terra a sua camada de húmus, condenando o solo a ser estéril.
8.º Não levantarás falso testemunho, justificando os teus crimes com a necessidade de lucro e de progresso.
9.º Não desejarás para teu proveito que as fontes e os rios sejam envenenados com resíduos industriais.
10.º Não cobiçarás objectos nem adornos cujo fabrico destrua a natureza.

Sócios da Natureza – Santa Catarina – Brasil