PUB
Projeto de análise fina de lípidos cerebrais vence nona edição do concurso de ideias da TecMinho
Projeto de análise fina de lípidos cerebrais vence nona edição do concurso de ideias da TecMinho
Quinta-feira, Fevereiro 23, 2017

Prémios atribuídos pela TecMinho foram entregues a três ideias finalistas do concurso de ideias de negócio. No total estiveram a concurso 20 mil euros, que foram distribuídos pelos projectos escolhidos pelo juri.

Uma ideia para a criação de um serviço de análise de múltiplos lípidos, com especial incidência nos associados a doenças neurodegenerativas, venceu o concurso da SpinUM, cuja final decorreu durante a tarde de quinta-feira, 23 de Fevereiro.

A ideia apresentada por Ana Bravo deverá funcionar como um atalho no conhecimento de um grupo de doenças que afeta 10 milhões de cidadãos europeus. A ideia de negócio passa pela defesa de que o estudo dos lípidos é fundamental para o conhecimento deste tipo de doenças, das quais a de Alzheimer é a mais comum.

Os lípidos constituem um conjunto de moléculas que compõem mais de 50% da massa cerebral e que são essenciais para a atividade neuronal. As doenças degenerativas são resultado da desregulação da função das células lipídicas.

O projeto Lipidomix consiste numa prestação de serviços altamente qualificados, que produzem resultados extremamente precisos. Além disso, a equipa apresentou soluções para serviços de consultoria e interpretação de dados que, no final da sessão, convenceu o painel de jurados. Este serviço foi apresentado como pioneiro na análise de lípidos na Península Ibérica.

Na globalidade foram apresentadas seis ideias de negócio, projetos de alguma forma associados à Universidade do Minho. Além da ideia, as equipas apresentaram toda uma abordagem ao mercado em que pretendem operar e apresentaram ao juri e aos potenciais investidores presentes na plateia o modelo de negócio, que sustenta a ideia.

E as ideias foram variadas – soluções para o aproveitamento de borras de café; uma aceleradora de produção de fármacos, com recurso à nanotecnologia; ou ainda um dispositivo de medida para desportistas de artes marciais. Em disputa estavam 20 mil euros para o financiamento dos projetos, a dividir por três prémios entregues.

Esta foi a nona edição do Concurso de Ideias de Negócio, promovido pela TecMinho – consórcio de transferência de conhecimento ligado à Universidade do Minho, sendo um dos primeiros eventos do género em Portugal. Devido à ligação com a academia, todas as ideias apresentadas apresentaram fortes ligações aos domínios da tecnologia e da ciência.

Do juri desta edição fizeram parte Pedro Fraga (F3M, BrainTrust); Elisabete Sampaio de Sá (Escola de Economia e Gestão da UMinho), que presidiu ao juri; João Miguel Dias (Armilar Venture Partners); Raul Filipe Aguiar (Direção de Marketing da CGD). O primeiro prémio foi entregue pelo vereador municipal Ricardo Costa, em representação da Câmara Municipal de Guimarães.

Além do primeiro prémio foram ainda entregues o Prémio Jovens Empreendedores, que foi para a equipa que apresentou a GetiN, um aplicação móvel para colocar em contacto médicos e pacientes. O segundo prémio ficou com a B-Koffe – projeto de aproveitamento de borras de café, para a produção de compósitos para aplicações em painéis decorativos.