PUB
capa_293_loja-online

Jornal Reflexo #293

1.00 IVA incl.

Retomar do estado de emergência

O país atravessa, neste momento, o período mais grave desde o início da pandemia causada pela Covid 19, com tendência para a situação se agravar nas próximas semanas. Estamos inseridos num concelho com uma das maiores taxas de infetados (é o 5º concelho da região norte e o primeiro no distrito com mais infetados na semana de 20 a 26 de outubro). A 25 de outubro, Guimarães registava 2996 paciente infetados com o vírus, a que correspondia, até esse momento, uma taxa de mortalidade a rondar os 1,5%.

Se olharmos para os centros de saúde da proximidade (dois de Caldas das Taipas, Ponte e Ronfe), verifica-se que, na semana de 16 a 22 de outubro, os casos em vigilância ativa duplicaram, rondando os 300 casos. 25% dos casos ativos entre Guimarães, Fafe, Vizela, Cabeceiras e Mondim localizam-se no âmbito geográfico das referidas unidades de saúde.

Nesses centros de saúde da área de Caldas das Taipas, a 29 de setembro, registavam-se 108 casos de vigilância ativa e esse número de infetados passa a 300 casos, como já foi referido, a 22 de outubro, contra 462 dos centros de Guimarães, 290 de Vizela e 150 de Fafe.

Ler o Editorial na íntegra  →
Alfredo Oliveira
Diretor

Categoria: Etiqueta:

Product Description

Retomar do estado de emergência

O país atravessa, neste momento, o período mais grave desde o início da pandemia causada pela Covid 19, com tendência para a situação se agravar nas próximas semanas. Estamos inseridos num concelho com uma das maiores taxas de infetados (é o 5º concelho da região norte e o primeiro no distrito com mais infetados na semana de 20 a 26 de outubro). A 25 de outubro, Guimarães registava 2996 paciente infetados com o vírus, a que correspondia, até esse momento, uma taxa de mortalidade a rondar os 1,5%.

Se olharmos para os centros de saúde da proximidade (dois de Caldas das Taipas, Ponte e Ronfe), verifica-se que, na semana de 16 a 22 de outubro, os casos em vigilância ativa duplicaram, rondando os 300 casos. 25% dos casos ativos entre Guimarães, Fafe, Vizela, Cabeceiras e Mondim localizam-se no âmbito geográfico das referidas unidades de saúde.

Nesses centros de saúde da área de Caldas das Taipas, a 29 de setembro, registavam-se 108 casos de vigilância ativa e esse número de infetados passa a 300 casos, como já foi referido, a 22 de outubro, contra 462 dos centros de Guimarães, 290 de Vizela e 150 de Fafe.

Ler o Editorial na íntegra  →

Alfredo Oliveira
Diretor