PUB
Ver carrinho “Jornal Reflexo #254” foi adicionado ao seu carrinho.
2020-03-loja-online

Jornal Reflexo #285

1.00 IVA incl.

Zé Amaro e as eleições para a distrital do PS

Foi uma surpresa a conversa mantida com Zé Amaro. Para além de toda a encenação com a personagem do “cowboy apaixonado” , que o próprio assume de uma forma natural e profissional – as botas, o chapéu e o próprio discurso quando se dirige aos seus fãs – existe um homem real, que assume os seus sonhos e não tem problemas de relatar as dificuldades que foi passando ao longo da sua vida, desde a infância até chegar aos dias de hoje.

A eleição para distrital do Partido Socialista tornou-se algo mais do que uma simples eleição partidária, tendo condimentos extraordinários.
Temos o grupo socialista das Taipas dividido entre Joaquim Barreto e Ricardo Costa; o líder da concelhia socialista, Luís Soares, a não apoiar o candidato vimaranense;
o vereador Ricardo Costa sem apoio da sua colega da vereação socialista, Sofia Ferreira, e, mais significativo, sem o apoio do líder do executivo, Domingos Bragança.
Por outro lado, Ricardo Costa conseguiu recuperar na sua candidatura algumas personagens socialistas retiradas do mundo político, umas há já muitos anos e outras mais recentemente. Não deixa de ser curioso, por exemplo, ter conseguido juntar António Magalhães e Francisco Teixeira na mesma candidatura, depois do historial político dos dois.

Ler o Editorial na íntegra  

Alfredo Oliveira
Diretor

Categoria: Etiqueta:

Product Description

Zé Amaro e as eleições para a distrital do PS

Foi uma surpresa a conversa mantida com Zé Amaro. Para além de toda a encenação com a personagem do “cowboy apaixonado” , que o próprio assume de uma forma natural e profissional – as botas, o chapéu e o próprio discurso quando se dirige aos seus fãs – existe um homem real, que assume os seus sonhos e não tem problemas de relatar as dificuldades que foi passando ao longo da sua vida, desde a infância até chegar aos dias de hoje.

A eleição para distrital do Partido Socialista tornou-se algo mais do que uma simples eleição partidária, tendo condimentos extraordinários.
Temos o grupo socialista das Taipas dividido entre Joaquim Barreto e Ricardo Costa; o líder da concelhia socialista, Luís Soares, a não apoiar o candidato vimaranense;
o vereador Ricardo Costa sem apoio da sua colega da vereação socialista, Sofia Ferreira, e, mais significativo, sem o apoio do líder do executivo, Domingos Bragança.
Por outro lado, Ricardo Costa conseguiu recuperar na sua candidatura algumas personagens socialistas retiradas do mundo político, umas há já muitos anos e outras mais recentemente. Não deixa de ser curioso, por exemplo, ter conseguido juntar António Magalhães e Francisco Teixeira na mesma candidatura, depois do historial político dos dois.

Ler o Editorial na íntegra  

Alfredo Oliveira
Diretor