Prémio Alberto Sampaio atribuirá 6 mil euros ao melhor estudo
Prémio Alberto Sampaio atribuirá 6 mil euros ao melhor estudo
Direitos Reservados
Quinta-feira, Fevereiro 16, 2017

O prémio foi criado por altura dos 150 anos do nascimento de Alberto Sampaio, com o objetivo de fazer uma alusão ao trabalho desta personalidade, ao mesmo tempo que procura promover o estudo da sociedade e a investigação científica.

A edição de 2017 do Prémio de História Alberto Sampaio tem aberto o período de entrega de trabalhos. Os estudos deverão ser entregues até ao final do mês de maio, conforme o regulamento do concurso.

O prémio foi instituído em 1995, por altura da celebração dos 150 anos do nascimento de Alberto Sampaio. Nessa altura, os municípios de Guimarães e Vila Nova de Famalicão, juntamente com a Academia de Ciência de Lisboa e a Sociedade Martins Sarmento lançaram a primeira edição. O prémio foi atribuído bianualmente de 1995 até 2008, tendo sido retomado em 2016, altura em que o município de Braga se junta ao grupo de entidades promotoras.

Na origem do Prémio de História Alberto Sampaio esteve a ideia de congregar as cidades e instituições por onde o “eminente historiador” deixou marcas do seu trabalho. Alberto Sampaio desenvolveu um profícuo trabalho na Sociedade Martins Sarmento, em Guimarães.

O prémio, no valor de 6000 euros, destina-se a galardoar um estudo de investigação científica, no âmbito da história económica e social portuguesa, ou no âmbito de outros domínios historiográficos associados ao legado de Alberto Sampaio.

O prazo de entrega dos estudos a concurso termina no próximo dia 31 de Maio de 2017, devendo ser enviados à Academia das Ciências de Lisboa. Os vencedores do concurso serão conhecidos numa sessão pública, que terá lugar no Arquivo Municipal de Alberto Sampaio, em Vila Nova de Famalicão, no dia 1 de Dezembro de 2017.

O Regulamento do concurso poderá ser consultado neste link.