Polidesportivo das Taipas inaugurado no dia Um de Portugal
Polidesportivo das Taipas inaugurado no dia Um de Portugal
Alfredo Oliveira
Sábado, Junho 24, 2017

O novo polidesportivo do parque de lazer de Caldas das Taipas marca este espaço e marca as inaugurações do primeiro dia de Portugal no concelho de Guimarães. Trata-se uma obra de referência e potenciadora de um aumento de qualidade nas áreas do desporto e do lazer deste território, nas palavras de Ricardo Costa, presidente da Taipas Termal.

Na apresentação do projeto do polidesportivo afirmou que este poderia ser um motor do desenvolvimento do desporto e do lazer deste território. Isso irá acontecer?
Este tipo de construções vai obrigar as pessoas a terem mais cuidado com o parque, cujas obras de reabilitação começam segunda-feira. Este embelezamento, que esta construção veio trazer para esta zona, vai alavancar outro tipo de construções mais cuidadas e outro tipo de atenção para esta área, dando mais dignidade a quem pratica desporto e a quem se desloca para o parque numa situação de lazer.
É uma construção singular que veio dar dignidade à zona que estava degradada há coisa de oito anos atrás. Recordo que foi uma das primeiras decisões que tomei, que envolveu alguma polémica quando disse que ia fechar aquele espaço, por falta de condições para se praticar desporto e com riscos para os próprios praticantes. Fui fustigado, mas quem toma decisões tem que avançar e hoje o resultado está à vista.

Uma coisa é o projeto, outra é o resultado final. Está satisfeito com o que está no terreno?
Naturalmente que sim. No cômputo geral, correu tudo muito bem, dentro das expectativas criadas. Reconheço que é uma construção com um design, diria, “atípico” para este género de infraestruturas, mas sem dúvida diferenciador. Diria mesmo que o próprio concelho já merecia uma construção deste tipo. Recordo que quando vi a imagem em 3D não queria muito acreditar, pois essas imagens, por vezes, são mais bonitas do que a realidade. Neste caso, aquilo que vi nessa altura é o que vejo agora.

O elemento mais marcante desta obra é a sua cobertura?
Um dos elementos mais marcantes desta obra é a utilização do aço corten, que se vê por todo o lado, mas, sem dúvida, é a cobertura que lhe dá o embelezamento e que a distingue. A madeira conjuga-a com a envolvente e é o seu elemento diferenciador, com um tipo de cobertura que nunca vi, que marca e marcará esta obra que gostaria de ver a candidatar-se a um prémio de arquitetura. Demorou uma semana e meia a chegar da Bélgica a Portugal. Veio em transporte específico e viu-se toda essa complexidade quando esses camiões chegaram ao parque.

E o piso escolhido para o polidesportivo?
O que foi escolhido, betão poroso com um tratamento específico, foi no sentido de se poder praticar neste espaço diversos desportos, como futebol, ténis, andebol, voleibol, basquetebol, rope skipping e mesmo o hóquei em patins. Para esta modalidade vamos ainda adquirir tabelas que possam ser colocados quando necessário.
Ao longo do fim de semana da inauguração vamos ter esses desportos a serem praticados no polidesportivo, como uma demonstração do que se pretende para este espaço.

A apresentação da totalidade da entrevista estará disponível na próxima edição do jornal Reflexo, nas bancas no início de julho. A questão das inundações, do regulamento de funcionamento do parque de campismo, da sede dos escuteiros e dos valores em causa são outros dos assuntos abordados.