PUB
Plano Municipal de Desenvolvimento Sustentável com condições para avançar
Plano Municipal de Desenvolvimento Sustentável com condições para avançar
Paulo Dumas
Segunda-feira, Setembro 24, 2018

A tónica da nova Estrutura de Missão é colocada no desenvolvimento sustentável, em vez que ter como objeto central a candidatura a Capital Verde Europeia. No entanto, uma nova candidatura não está fora do âmbito do novo gabinete, que terá de desenvolver também Plano para o Desenvolvimento Sustentável de Guimarães.

A proposta foi levada à última reunião do executivo municipal, na passada quinta-feira, 20 de setembro. A Estrutura de Missão Guimarães 2030 foi aprovada por unanimidade dos votos da vereação. A nova estrutura que terá como principal objectivo delinear uma estratégia de sustentabilidade ambiental para o município de Guimarães tem condições para avançar.

Faltará ainda formular um convite formal à coordenadora, que deverá ser Isabel Loureiro que liderou a anterior estrutura e que coordenou o processo de candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Este novo gabinete extingue a anterior estrutura. Domingos Bragança colocou desde já em cima da mesa uma nova candidatura a Capital Verde Europeia.

Ainda de acordo com o presidente da autarquia vimaranense, a nova estrutura garantirá um trabalho de continuidade em consonância com o que o presidente diz ter sido feito desde 2013, altura em que a ideia de candidatura a Capital Verde Europeia foi lançada. Domingos Bragança espera que a nova estrutura de missão reúna o mesmo consenso político que mereceu a anterior.

Além da candidatura a Capital Verde Europeia, o gabinete da Estrutura de Missão deverá ter a seu cargo a elaboração do Plano para o Desenvolvimento Sustentável de Guimarães, assim como a elaboração e colaboração com outros projetos e candidaturas no domínio do ambiente. Haverá igualmente um foco no âmbito da educação ambiental.

Oposição quer saber quanto custou a anterior Estrutura de Missão

A coligação Juntos por Guimarães, que votou favoravelmente a proposta de criação da nova Estrutura de Missão, deixou alguns reparos. Bruno Fernandes, da coligação Juntos por Guimarães entende que, numa altura em que seja fecha um ciclo, seria interessante saber qual foi o encargo do município em toda a campanha que suportou a candidatura a Capital Verde Europeia.

Não obstante o voto favorável o vereador social democrata não deixou de notar que há divergências quanto à metodologia que tem sido adotada. No entender da oposição, a prioridade deveria ser dada à execução de políticas públicas para a promoção dos objetivos de sustentabilidade ambiental. Em suma, a candidatura não deveria ser considerada como prioritária.

Bruno Fernandes estranhou que o consenso político – um dos argumentos da anterior candidatura não tivesse sido aprofundado com a criação da nova estrutura de missão. Para a coligação a oposição deveria estar representada no conselho executivo da estrutura, além da posição prevista para o conselho consultivo.