PUB
Pequeno Jornalista cessa publicação ao fim de 30 anos
Pequeno Jornalista cessa publicação ao fim de 30 anos
Paulo Dumas
Segunda-feira, Julho 9, 2018

Data de Julho de 2017 o último número do jornal escolar Pequeno Jornalista, que nos últimos 30 anos documentou o dia a dia da Escola EB 2,3 de Caldas das Taipas. É o jornal com maior longevidade publicado na vila de Caldas das Taipas.

Tudo indica que será o ponto final na publicação regular no jornal escolar, que se faz desde há 30 anos. Quem o assegura é a criadora do jornal e coordenadora do Pequeno Jornalista – o jornal da escola EB 2,3 de Caldas das Taipas. A professora Teresa Portal tem estado afastada das salas de aula por motivos relacionados com a sua saúde.

O aparecimento do Pequeno Jornalista está intimamente ligado com a criação do Clube de Jornalismo, corria o ano letivo de 1987/88. O jornal escolar surge neste mesmo ano, após um concurso aberto na escola para a escolha do título.

Antes do aparecimento do Pequeno Jornalista, a escola viu ainda surgir o Taipal, no ano letivo de 1985/86, ainda a escola tinha a designação de C+S (ensino complementar + secundário). Depois da abertura da escola Secundária na vila, os alunos do secundário deixaram a C+S e o Taipal ficou-se por uma curta existência de apenas um ano.

O último número do Pequeno Jornalista é o 60 e corresponde ao ano letivo 2016/2017. Ao longo destas edições é possível traçar 30 dos 35 anos da vida da escola. O primeiro número saiu em maio de 1987, em folhas de formato A4 policopiadas na própria escola.

O jornal foi evoluindo e nos números seguintes já saiu no formato tablóide. Durante um período de afirmação do jornal, a impressão era suportada por uma secção de publicidade. Segundo a coordenadora do jornal, o resultado da recolha de patrocínios dava para imprimir o jornal e ainda para ir comprando alguns livros para a biblioteca da escola.

O Clube de Jornalismo, além da preparação e edição do jornal, organizava um conjunto de outras atividades. Chegaram a estar envolvidos quatro professores, que ministravam um curso de jornalismo que chegou a ter 120 alunos. Foram organizadas visitas às instalações de alguns órgãos de comunicação social como o Correio do Minho ou a Rádio Santiago.

Em 2007/2008 o clube é renomeado e passa a ser conhecido como Clube de Jornalismo e de Escrita Criativa. Os alunos foram diminuindo com o tempo e não há registo que algum se tenha tornado jornalista profissional.

A atividade mais visível do Clube continuava a ser a publicação do Pequeno Jornalista, que ia também reduzindo a sua periodicidade. Nos primeiros anos o jornal tinha três números por ano. Ultimamente, os jornal tinha uma periodicidade anual.

Pelo meio, o Pequeno Jornalista foi também um jornal premiado, num concurso que era organizado pelo jornal diário Público e pela revista Fórum Estudante. O Pequeno Jornalista chegou a arrecadar o segundo prémio no ano de 1992/93 e três anos depois recebeu o terceiro prémio.

O fim do jornal, segundo explica Teresa Portal, tem a ver com o aproximar da sua aposentação e principalmente com “o desaparecimento da escola que suportou o jornal” durante três décadas. Para a professora, o edifício que está a ser construído nada terá a ver com a antiga escola e nesse sentido já não haverá tempo para uma adaptação às novas instalações.