PUB
Paula Damião aponta Caldelas como exemplo da “mexicanização” do poder autárquico
Sexta-feira, Março 4, 2016

A deputada social-democarata questionou o presidente da câmara quanto aos cargos de funcionários na Taipas-Turitermas e no Insituto de Design, que são também militantes do Partido Socialista.

A deputada municipal Paula Lemos Damião levantou polémica na última sessão da Assembleia Municipal, de 27 de Fevereiro, nomeando um grupo de sete militantes do Partido Socialista, que têm contratos de trabalho com várias empresas municipais. Caldelas e o vereador Ricardo Costa estiveram na mira da intervenção da social-democrata.

A deputada referiu-se especialmente à Taipas-Turitermas e classificou a situação como despudorada, no que respeita à cartelização dos cargos ocupados nas empresas participadas pela Câmara Municipal – “isto é a «mexicanização» do poder autárquico que se excerce em Guimarães”, exclamou Paula Lemos Damião.

A deputada do PSD referiu-se ainda a cargos ocupados pelo Instituto de Design de Guimarães (IDEGUI) e confrontou o presidente da Câmara Municipal com a situação que adejectivou de vergonhosa. Paula Lemos Damião apontou o dedo a Ricardo Costa e perguntou ao presidente da autarquia se estava atento ao que se estava a passar.

As reacções na mesma sessão não se fizeram esperar. O deputado socialista Luís Soares, um dos visados da intervenção da deputada do PSD, confrontou Paula Lemos Damião pela ocultação, na sua intervenção, do trabalho que vem sendo desenvolvido pelas instituições, assim como os restantes funcionários que trabalham nas instituições referidas e que não terão qualquer ligação partidária.

Por sua vez, Domingos Bragança referiu-se ao trabalho excecional que a Taipas Termal tem vindo a desenvolver “na afirmação nas termas de Guimarães”. Bragança aludiu ainda à intervenção do anterior Ministro da Economia, António Pires de Lima (do PSD), que no seu discurso durante a cerimónia de inauguração das novas instalações das termas das Taipas, elogiou a requalificação efectuada.

Entretanto, a Câmara Municipal anunciou, na segunda-feira seguinte, que irá divulgar no seu site uma lista com o nome dos funcionários e dos nomes dos órgãos sociais das empresas municipais e a respectiva remuneração. A autarquia justificou esta medida referindo-se à alteração da Lei n.º 50/2012, que foi recentemente alterada, com a aprovação do Orçamento de Estado para 2016.