02 dezembro 2021 \ Caldas das Taipas
tempo
18 ºC
pesquisa

Caro utente, não seja responsável por estes exemplos…

Carlos Salazar
Opinião \ quinta-feira, novembro 11, 2021
© Direitos reservados
Se um utente deixa passar o prazo de validade de umas análises e o médico as voltar a passar, para além da perda de tempo, duplica os gastos com as análises, porque foram prescritas duas vezes.

Os médicos de família passam muito tempo em tarefas burocráticas que lhes desgasta a paciência e lhes retira tempo para fazerem aquilo que é importante: ouvirem e tratarem os seus doentes.

Vou dar dois exemplos:

1º - Pedido de renovação de receituário.

Normalmente, com os doentes crónicos, como diabéticos, hipertensos, asmáticos, etc, tento dar medicação que chegue para 6 meses, partindo do pressuposto que o utente está controlado, pois o objetivo será que tenha consulta duas vezes por ano. Acontece, quase diariamente, que há utentes que dizem que perderam a receita ou apagaram a mensagem do telemóvel onde ela estava e pretendem que se passe nova medicação. Esta situação implica que o médico perca tempo em reimprimir a receita anterior ou pior, se o utente tiver já levantado algumas embalagens, a apontar na receita o que o utente ainda tem para aviar. Outra situação comum é o utente pedir receita de medicamentos, que ainda tem para levantar de receitas anteriores. Lá terá o médico que ir verificar os medicamentos que o utente não levantou e reimprimir, novamente, as respetivas receitas…

Há, ainda, utentes que pedem hoje o medicamento para a hipertensão, amanhã o da diabetes e daqui a três dias o do colesterol. Serão três consultas, quando apenas uma seria suficiente. Caro leitor, por favor, se for o caso, faça as contas até à próxima consulta e peça os medicamentos até lá, apenas de uma vez.

 

2º - Fim de validade de receitas e meios complementares de diagnóstico.

Acontece todos os dias e é outra dor de cabeça para os médicos de família e por dois motivos. Primeiro porque vão perder tempo a refazer o que já havia sido feito e, segundo, vão agravar as suas contas. O leitor deve ficar a saber que, no final do ano, o seu médico de família é avaliado em relação aos seus gastos em medicamentos e meios complementares de diagnóstico. E é avaliado não pelo que é faturado mas sim pelo que é prescrito. Assim, se um utente deixa passar o prazo de validade de umas análises e o médico as voltar a passar, para além da perda de tempo, duplica os gastos com as referidas análises, porque foram prescritas duas vezes.

Portanto, amigo leitor, esteja atento e poupe ao seu médico perdas de tempo que poderia ser usado mais proveitosamente.