O verão vale a pena em Guimarães
Quinta-feira, Julho 11, 2019

Há uns anos, o título desta crónica era o nome de uma iniciativa que abrangia um alargado programa de animação em Guimarães, com atividades integradas em áreas tão variadas como a dança, teatro, música ou cinema. Hoje, o leque de eventos consolidou-se, está mais reforçado e o verão continua a valer a pena no concelho de Guimarães, fruto de uma sustentada política de diversificação cultural.

O período estival, propício a sentir o odor a maresia, tem na Cidade-Berço um alternativo conjunto de momentos culturais que preenchem o calendário de veraneio. A 4.ª edição do “Guimarães Allegro”, que se afirma como um evento de promoção de música erudita que vai ao encontro das pessoas no espaço público, decorre nas principais praças e ruas vimaranenses, entre 18 e 20 de julho, dia em que se conhecerá o 25.º Presidente do Vitória Sport Clube.

Antes disso, na noite de 16 de julho, o Centro Cultural Vila Flor recebe o espetáculo “Rei Leão”, interpretado pela Orquestra Juvenil de Pevidém e pelos alunos da Academia da Sociedade Musical. Quatro dias depois, na Plataforma das Artes, a angolana Aline Frazão é a primeira convidada do novel festival “Terra”, criado em parceria com o Município e a associação “Capivara Azul”, onde músicas do mundo vão desfilar num museu com um… mundo dentro.

Mais para o final do mês, entre 25 e 27 de julho, há o “Vaudeville Rendez-Vous 2019”, um festival de arte circense que promete animar o Centro Histórico, com muitas acrobacias e sonoros sorrisos. As Festas Gualterianas, o regresso da Feira de Artesanato à Alameda S. Dâmaso e o habitual programa “Cinema em Noites de Verão” são os cartões de visita de agosto, mês que dá nome a um recente festival de Guimarães, já com honras de prémios. Entre 01 e 03, o “L’Agosto” decorre no jardim interior do Museu de Alberto Sampaio.

Com as férias em curso, o “Vai-M’À Banda”, festival que percorre as tascas vimaranenses, vai animar, no final do mês, os locais pitorescos da Penha e do centro da cidade. A entrada é livre, assim como é de acesso gratuito o Festival Manta, já em setembro, nos jardins do Centro Cultural Vila Flor. O regresso de férias fica ainda assinalado com o “Suave Fest 2019”, um festival citadino promovido pela associação “Convívio” em articulação com a Autarquia.

Neste período em que o verão vale a pena em Guimarães, ainda temos a programação cultural na Vila das Taipas, a Feira da Terra (S. Torcato), a Citânia Viva (Briteiros S. Salvador), a Festa de S. Tiago (Ronfe), o programa “ExcentriCidade”, que continua a levar arte e cultura a várias freguesias do concelho, ou, no dia 14 de agosto, a procissão em honra de Nossa Senhora da Oliveira, padroeira de Guimarães. Onde o verão vale religiosamente a pena!