PUB
Editorial #256: O passado e o futuro da vila
Quinta-feira, Junho 6, 2019

Esta edição fica marcada, entre outros, por dois temas, um que nos transportam para o passado e história da vila e outro que a projeta para o futuro.

Quando se fala de algo mesmo antigo, a nível comercial, uma das casas que se costuma referenciar é a loja do Pito, como popularmente é conhecida ou, mais formal, a Casa Martinho.

Este espaço abriu no ano de 1897 e, desde essa altura, já passaram quatro gerações que vão mantendo o estabelecimento comercial aberto há 122 anos.

Não foi fácil passar para o papel as histórias desta loja. Manuel Martinho acabaria por, depois de alguns avanços e recuos, disponibilizar uma tarde para ficar registada mais uma página da história da vila.

Em termos de futuro, a conclusão da EB 2,3 e a sua inauguração a 24 de junho ficará como um dos maiores acontecimentos de 2019 em Caldas das Taipas. Independentemente do atraso das obras e de se gostar mais ou menos do projeto ou de um ou outro pormenor, a realidade é que na vila termal passamos a ter duas escolas (Secundária e EB 2,3) que asseguram condições excelentes para os estudantes desta região. Foram cerca de 22 milhões de euros disponibilizados, nas duas escolas, para termos uma oferta ampla, desde o 5.º ao 12.º ano, nas melhores condições e que abrem a porta a possíveis reajustamentos, em termos de futuro, na rede escolar concelhia.

Uma última referência para as Festas da Vila e S. Pedro a decorrerem entre 27 de junho e 1 de julho. Do programa, será de referir a separação entre as festas propriamente ditas, num fim de semana, de outros eventos que marcam também este período, caso de “Associações em Festa” e da “Feira da Cerveja e da Francesinha”. De qualquer forma, está garantido um programa que, certamente, trará milhares de pessoas a Caldas das Taipas.

SOBE > A nova EB 2,3
Depois de dois anos e 9 milhões de euros despendidos, a obra da nova EB 2,3, arrancada em julho de 2017, será inaugurada a 24 de junho.

Dois anos em que os alunos “andaram com a casa às costas” ou “em casa emprestada” passaram e chegou o momento de regressarem à sua nova escola.

Poucos acreditariam que esta obra fosse concretizada nos moldes em que se veio a verificar. Quando muitos falavam na “retirada do amianto”, Domingos Bragança sempre apontou a construção de uma nova escola. E o facto é que temos uma nova escola.

DESCE > Postes no meio do passeio
Do projeto inicial, por movimentações populares e de algumas instituições, conseguiu-se alterar o muro exterior à escola EB 2,3. Com o início da demolição do antigo, passou a ser visível o novo muro e constatou-se que o passeio passaria a ter um mínimo de condições para os peões.

Com a intervenção no piso, parece que os postes de iluminação vão ficar no seu local antigo, ficando, deste modo, no meio do novo passeio.

Seria estranho numa obra desta dimensão termos algo tão caricato.