PUB
O centenário da inauguração da luz elétrica nas Taipas (1919-2019)
Quinta-feira, Outubro 10, 2019

Consultando o jornal “A Velha Guarda”, semanário republicano, na sua edição de 9 de outubro de 1919, encontrámos um artigo intitulado “Caldas das Taipas”, no qual temos notícia dos festejos comemorativos do 9.º aniversário da implantação da República e da inauguração da luz elétrica nas Caldas das Taipas.

Segundo o mesmo artigo, a 5 de outubro de 1919, festejou-se nesta localidade, o aniversário da implantação da República e a inauguração da luz elétrica, melhoramento que há muito era esperado com ansiedade pelos taipenses.

Da parte da manhã, a povoação foi embandeirada, vendo-se muitos edifícios particulares cobertos de bandeiras, tendo uma salva de morteiros anunciado a alvorada do 5 de outubro. Ainda de manhã, bandas de música percorreram as principais artérias de Caldas das Taipas.

Pelas 16 horas, por entre uma multidão e ao som do Hino Nacional, interrompido de vez em quando pelo troar de morteiros, teve lugar um bodo aos pobres, que em número superior a 300 acorreram a “saborearem suculenta refeição que lhes era servida por gentilíssimas senhoras da nossa primeira sociedade que amavelmente se prontificaram a colaborar neste acto de beneficiencia”.

Aproximando-se a noite, na Avenida da República afluíram as pessoas para observaram a inauguração da luz elétrica na povoação. Observemos a descrição que é feita:

“Foi deveras empolgante a manifestação de entusiasmo com que aquela massa compacta acolheu a ligação da luz que como um relampago iluminou todas aquelas cabeças que em uma grande anciedade olhavam as lâmpadas suspensas dos postes”.

De seguida, três bandas de música entoaram o Hino Nacional, simultaneamente girândolas de foguetes subiam ao ar, enquanto a multidão saudava o novo melhoramento nas Taipas. Da Avenida da República, seguiu a multidão acompanhada pelas bandas de música à sua frente, entoando a “Portuguesa” até aos “Banhos Novos”, onde foi feita ao Dr. Alfredo Fernandes, diretor clínico do estabelecimento termal, uma carinhosa manifestação de simpatia. Usaram da palavra os srs. José Ribeiro de Castro e Lino do Nascimento que tiveram palavras de elogio e apreço ao Dr. Alfredo Fernmandes, um dos impusionadores da inauguração da luz elétrica. O Dr. Alfredo Fernandes num sentido e breve discurso agradeceu a todos, terminado por levantar uma viva às Taipas e à República. Dali, regressou a manifestação pela Avenida das Termas à Avenida da Republica, onde se fizeram ouvir até altas da noite as três bandas.

Continuando a leitura do artigo, temos conhecimento de que algumas casas particulares apresentaram-se iluminadas, destacando-se a do Senhor Custódio de Araújo Lemos, sita na Avenida da República, que ostentava na sua fachada um largo quadro iluminado a luz elétrica, com os seguintes dizeres: “Viva o intemerato defensor das Taipas – Ex.mo Sr. Dr. Alfredo Fernandes!”

Na sua residência solenizando a inauguração da luz elétrica, o sr. Custódio Lemos ofereceu às pessoas da sua intimidade um copo de água, comemorando a inauguração da luz elétrica nas Taipas.

Pela noite prolongaram-se as manifestações com vivas ao Dr. Alfredo Fernandes, ao sr. Bernardino Jordão (concessionário da luz), à Câmara de Guimarães e à República.

Segundo o mesmo articulado, a comissão de festas era formado pelos seguintes taipenses: José Ribeiro de Castro, Custódio de Araújo Lemos, António Manuel Lourenço, Adelino Manso e João Ribeiro Fernandes.

Além deste jornal “A Velha Guarda”, os festejos do 9.º aniversário da Implantação da República e a inauguração da luz elétrica, foram noticiados em vários periódicos vimaranenses.

Em suma, no passado dia 5 de outubro de 2019, comemorou-se o centenário da inauguração da rede elétrica nas Caldas das Taipas, entrando assim esta localidade no mapa deste singular melhoramento, a que a Exposição Universal de 1900, realizada em Paris, atribuiria a importância central ao anunciar o século XX “como o século da eletricidade”.

Este significativo melhoramento iria ter importantes repercussões na população, bem como no desenvolvimento da indústria termal e hoteleira de Caldas das Taipas.