PUB
NOTA DA REDAÇÃO – Falha no jornal Reflexo
NOTA DA REDAÇÃO – Falha no jornal Reflexo
Quarta-feira, Fevereiro 3, 2021

Foi esta quarta-feira para as bancas a edição 296 do jornal Reflexo, referente ao mês de fevereiro de 2021.

A manchete é uma reportagem sobre a Ecovia do Ave, reportagem essa na qual o nosso jornal dá voz aos presidentes de junta da zona norte do concelho que são atravessadas pelo Rio Ave e que, por isso, serão envolvidas neste projeto.

Por lapso de paginação, na página 7 do jornal, as declarações do presidente da Junta de Freguesia de Ponte, proferidas na apresentação do traçado da ecovia, não foram corretamente colocadas.

O texto que deverá ser considerado é o seguinte:

“Temos já cerca de 2kms prontos a serem inaugurados este ano”
Sérgio Rocha, presidente da freguesia de Ponte

“O Rio Ave tem cerca de noventa quilómetros de extensão e cerca de sete por cento confina com a Vila Ponte, em termos de extensão temos cerca de seis quilómetros de margem e julgo que somos os únicos que temos margem em ambos os lados do rio. Este sonho do presidente da Câmara de Guimarães, da Ecovia, foi partilhado por mim há dois ou três anos atrás, o que levou a Junta de Freguesia de Ponte a trabalhar de forma árdua para que este corredor verde fosse uma realidade. Aquilo que posso dizer é que temos cerca de dois quilómetros praticamente concluídos, para ser inaugurados ainda este ano. Esta Ecovia, na parte, de Ponte irá desde os antigos aviários até ao limite de Santa Eufémia e da Praia Seca. Já andamos também há três anos a comprar terenos para estender o Parque de Lazer de Ponte, neste momento já temos mais de um hectare, falta comprar apenas mil metros de terreno, pelo que o Parque de Lazer de Ponte irá prolongar-se até à Praia Seca.

A par disso foram identificados alguns percursos na zona de Campelos que a meu ver são muito difíceis de serem executados. Temos ainda outra questão da recuperação de uma ponte junto aos antigos aviários, neste momento já está aberto um procedimento para ser feito o projeto de requalificação dessa ponte, que foi interditada há um mês ou dois, dado o risco muito elevado de poder ruir.

Num outro aspeto, acrescento que na minha opinião o traçado que liga o Parque de Lazer da Ínsua ao Parque de Lazer de Ponte não é o traçado que melhor favorece quem quiser percorrer aquela margem do rio. Toda a gente conhece a ponte Romana de ligação entre Ponte e Taipas e sabe-se que basta chover mais um bocado para essa ponte ficar intransitável. Já encontrámos uma solução, há sensivelmente dois anos, fizemos inclusive diligências junto da Infraestruturas de Portugal, e foi demonstrada abertura para se criar uma passagem subterrânea na ligação dos dois parques de lazer, por baixo da Estrada Nacional 101, ficando sempre salvaguardado que o percurso poderá ser utilizado mesmo havendo cheias, não se ficando dependente da ocorrência de uma cheia ou não. Neste momento esta questão está à espera do projeto de execução que é exigido mesmo estando a falar de uma estrutura pré-fabricada e que exige uma intervenção que se faz num dia.”

Por este lapso o Reflexo pede desculpa aos seus leitores e, em particular, ao presidente da Junta de Freguesia de Ponte, Sérgio Castro Rocha.