PUB
NORMALIDADE
Terça-feira, Maio 19, 2020

É uma aspiração antiga: concentrar, naturalmente as que quisessem e que tenham falta de instalações para o efeito, num edifício só, as sedes das associações das Taipas.
Essa concentração proporcionaria a existência de uma zona administrativa comum com manifestas poupanças.
Esse local, por se situar no coração da vila, seria a antiga praça – hoje mais conhecida por mercadinho.
O PS e a Câmara Municipal nunca quiseram e nunca apoiaram tal ideia.
Sempre defendemos que qualquer requalificação no mercadinho teria de passar, obrigatoriamente, por esse destino.
O PS nunca quis uma casa das Associações nas Taipas; não porque não concordasse com o mérito do projecto mas porque não sentia o progenitor da ideia.
A necessidade de requalificação é unânime, ainda mais quando assume foros de urgência pelo aspecto degradado e de abandono que apresenta. É um triste cartão de visitas das Taipas que a actual Junta de Freguesia concede a todos os que lá passam. O mercadinho piorou muito de aspecto. Já não é só um estaleiro, como arremessava o PS ao anterior executivo, é um local abandonado e mal cuidado.
Mais do que fazer é preciso saber fazer, com qualidade e utilidade.
De acordo com o projecto inicial anunciado se ainda não alterado, a antiga praça (mercadinho) será para instalar 3 bares obrigatoriamente para concessionar, pois não estou a ver, nem ninguém, a Junta de Freguesia a explorar de forma permanente 3 bares.
Somos contra os 3 bares por duas razões fundamentais: uma é a inutilidade da finalidade: o sector privado já se encarregou de multiplicar por m2 o número de bares na vila das Taipas; abrir mais bares é um erro e prejudica os que já se encontram abertos há muitos anos. Outra é que a função subsidiária das entidades públicas impõe o dever de promover projectos que sejam essenciais para as populações e que estas delas careçam. Certamente que os bares não são essenciais para as populações nem a Vila delas tem qualquer necessidade não preenchida.
A ideia de instalar 3 bares no mercadinho revela um facto evidente: a Junta de Freguesia queria, por razões de cumprimento de promessas eleitorais, requalificar o Mercadinho mas nunca soube o que lá fazer. A modos que o projecto de instalar três bares surge como um recurso, à falta de melhor, completamente residual.
Estamos em crer que o autismo crónico da Junta de Freguesia para encaixar as propostas da Coligação acabará por ceder por razões de mérito, de oportunidade e acima de tudo por Amor às Taipas e às suas organizações.
A não ser assim, perdem-se mais uns anos, perde-se dinheiro público que vai escassear, não tarda muito.
A actual conjuntura é uma oportunidade para repensar tudo: o projecto e as suas finalidades de modo a que, o que se faça seja bem feito. É necessário mais substancia do que forma.
Saúde para todos.