PUB
Não adiem cuidados clínicos urgentes! As outras doenças não desapareceram com a chegada do COVID!
Sexta-feira, Abril 10, 2020

A Ordem dos Médicos (OM) reforçou esta 5ª feira a sua preocupação com o adiamento no diagnóstico e terapêutica de doentes com outras patologias em áreas que não podem esperar: oncologia, cardiovascular, patologia respiratória, traumatologia, transplante, …

Esta situação tem causado um aumento global da morbilidade (sequelas negativas do diagnóstico e tratamento tardios) e mesmo mortalidade entre doentes “não-COVID”, segundo os indicadores a que a OM teve acesso.

“Ao longo deste mês de Março, a mortalidade não dependente do COVID teve um crescimento sustentado.”

A OM apela aos DOENTES CRÓNICOS e AGUDOS com patologia grave, ou descompensação da sua patologia de base ou situações agudas (ex. traumatologia, mal-asmático, patologia cardíaca, acidentes vasculares cerebrais, diabetes descompensada, insuficiência renal, etc.) NÃO ADIAREM O RECURSO A AJUDA MÉDICA pelo medo que se instalou devido à Pandemia COVID.

Com medo de recorrerem aos Serviços de Urgência dos Hospitais, que entendem ser uma situação de risco que pode originar um contágio, muitos doentes aguardam, muitas vezes em sofrimento, sem assistência médica.

POR FAVOR, PERANTE SINTOMAS AGUDOS OU AGRAVAMENTO DE PATOLOGIA CRÓNICA, PROCURE APOIO MÉDICO! Não o fazer pode trazer consequências graves. Temos de seguir todas normas anti-COVID, mas não perder a noção do essencial!

O Bastonário da OM Miguel Guimarães, chama a atenção que “Isto significa que nos próximos meses podemos ser confrontados com diagnósticos tardios, … com impacto na possibilidade de tratamento e de cura”. É fácil de entender esta afirmação em casos oncológicos, transplantes, enfartes ou traumatismos de média-alta energia.

É igualmente necessário aliviar o sofrimento, em tempos que já são muito difíceis.

A OM denuncia a falta de estratégia e organização da tutela e apela a uma melhor coordenação entre todos os sectores de prestadores de serviços de saúde, públicos ou privados, neste combate.

A OM reconhece que a especificidade desta situação única que vivemos no combate à pandemia COVID, impede o normal funcionamento do sistema nacional de saúde, pelo que TODAS AS INSTITUIÇÔES DE SAÚDE ESTÃO A REALIZAR ESFORÇOS PARA ASSISTIR TODOS OS DOENTES QUE NECESSITAM, depois de criadas as condições de segurança.

A Mensagem é: nós, vamos TODOS continuar a combater o COVID, e vamos CONTINUAR A TRATAR TODOS OS OUTROS DOENTES QUE NECESSITEM.

O período é difícil, mas permitam-me um apelo à calma, cumprir as normas anti-COVID, mas não adiar, sempre que se justificar, o recurso aos cuidados clínicos.

Nas últimas semanas, todos os profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, farmacêuticos, assistente, técnicos, etc.), têm dado provas de que têm sempre como prioridade o serviço dos seus doentes. Trabalhando, tratando, prevenindo e contribuindo para o rigor na informação.

Louvo o exemplo similar de Universidades, Tecido empresarial e forças vivas da Sociedade Civil que já provaram que o momento é de UNIÃO!

Temos até assistido a alguns bons exemplos dos nossos políticos que mereceram elogios internacionais! Os exemplos menos bons não merecem agora consideração…

TODOS JUNTOS na defesa da Vida!