PUB
“A Morte” discute-se em Guimarães, a partir de 5ª feira
“A Morte” discute-se em Guimarães, a partir de 5ª feira
DR
Terça-feira, Fevereiro 19, 2019

Entre 21 e 24 de fevereiro serão mais de 100, as comunicações relacionadas com o tema. O humorista Ricardo Araújo Pereira e a investigadora Sofia Reimão, serão os protagonistas da primeira sessão plenária.

O I Congresso Internacional “A Morte: Leituras da Humana Condição”, organizado pelo Instituto de Estudos Avançados em Catolicismo & Globalização (IEAC-GO), em parceria com a Câmara Municipal de Guimarães, decorre de 21 a 24 de fevereiro, no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

A sessão de abertura está agendada para as 14h30, desta quinta-feira, 21 de fevereiro, no Centro Cultural Vila Flor, com as presenças do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, o Presidente da Comissão Científica, Paulo Alves e a Presidente da Comissão Organizadora, Eugénia Magalhães.

Ao todo, neste congresso, estão previstas mais de 100 comunicações, com a realização de 4 mesas redondas e 4 momentos culturais, englobando 11 áreas temáticas e representadas 5 nacionalidades.

 

O Programa completo é o seguinte:

Quinta-feira – 21 de fevereiro

A primeira sessão plenária inicia à 15h30, conta com Sofia Reimão a abordar o tema “As definições de morte” e Ricardo Araújo Pereira destacará a ligação entre a Morte e o Humor, sob a moderação de Duarte Soares.

Ainda na quinta-feira está previsto o debate em duas mesas redondas, com início às 17h30. O tema “A decisão jornalística: Quando a morte (não) é notícia” conta com as participações de José Alberto Carvalho (TVI), Rosário Lira (RTP), Luís António Santos (Universidade do Minho), Manuel Vilas-Boas (TSF) e Joaquim Franco (SIC).

O tema “A morte nos textos sagrados” conta com as participações de Herculano Alves (Ordem dos Frades Menores Capuchinhos), Tiago Cavaco (Igreja Batista), Miriam Assor (escritora judia) Khalid Jamal (Comunidade Islâmica) e Porfírio Pinto (IEAC-GO).

Antes da pausa para jantar, às 19h00, terá lugar ainda uma oficina de leitura coreográfica. A dimensão artística e o papel da morte em algumas obras seminais da dança dos séculos XIX e XX, com António Laginha (Universidade Aberta). À noite, pelas 21h30, está previsto um momento cultural com a Projeção do filme WIT, com comentário de  Paulo Miguel Martins (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa).

 

Sexta-feira – 22 de fevereiro

Na sexta-feira, 22 de fevereiro, o programa inicia às 09h00 com a intervenção de  Luciano Manicardi (Monastero di Bose, Italia), e ainda de Eduardo Carqueja (Centro Hospitalar Universitário de S. João) numa abordagem ao “Luto: Um processo dinâmico”.

Ainda da parte da manhã decorrem duas mesas redondas paralelas: “Morte e liturgia ritual na cultura cristã e na cultura oriental”, com D. José Cordeiro (Diocese de Bragança-Miranda), Adelino Ascenso (Sociedade Missionária da Boa Nova) e Timóteo Cavaco (Universidade Nova de Lisboa), moderado por Marco Daniel Duarte. Outro tema para discussão é “Cuidar da vida na derradeira condição humana. A experiência das Misericórdias e os desafios das Instituições Sociais”, com Cristiana Lopes (Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso), Pedro Ferreira (Santa Casa da Misericórdia da Amadora) e Sara Lima (Santa Casa da Misericórdia de Riba d’Ave), moderado por Eduardo Leite (Santa Casa da Misericórdia de Guimarães).

Às 12h00, Jorge Bacelar Gouveia  (Universidade Nova de Lisboa) intervém numa sessão plenária sobre “A morte e o direito), moderada pela vereadora do Município de Guimarães, Adelina Pinto.

A tarde de sexta-feira está reservada para a realização de painéis temáticos paralelos, como Psicologia e Ciências da Educação – História – Teologia e Ciências da Religião – Filosofia – Comunicação – Literatura –  Direito, Economia e Política – Antropologia, Sociologia e Psicologia, Militar e Segurança, Teologia e Ciências da Religião, Ciências da Saúde.

À noite, pelas 21h30, está previsto o Concerto Missa Brevis com João Gil, Luís Represas e Manuel Rebelo, no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor.

 

Sábado – 23 de fevereiro

No sábado, dia 23 de fevereiro,  Noa Carballa Rivas  (Universidad Pontificia de Salamanca, Espanha) aborda o tema “A comunicação da morte no mundo digital” em sessão plenária agendada para as 09h00. Segue-se uma mesa redonda com o tema “A morte mediatizada e mediática: Retratos e olhares dos narradores” com as participações de Alexandre Brito (RTP), Lúcia Gonçalves (SIC), Rosa Pedroso Lima (Expresso), Eduardo Madureira (Diário do Minho), António Marujo (7Margens) e Cristina Figueiredo (SIC).

Da parte da tarde estão previstos novos painéis temáticos paralelos e o destaque vai para a sessão plenária agendada para as 17h30, com intervenção de Nuno Gil (Fundação Champalimaud), abordando o tema “Comunicar a morte”. A Conferência de encerramento (18h30) aborda o tema “A morte entre os povos Bantu de Angola – uma perspetiva antropossociológica”, por Victor Kajibanga (Universidade Agostinho Neto, Angola).

Na noite de sábado acontece ainda um momento cultural com a gravação do programa de rádio (Antena 1) “E Deus Criou o Mundo”, apresentado por Henrique Mota e com os comentários de Joshua Ruah, Pedro Gil e Khalid Jamal.