Mobilidade e ambiente são bandeiras de Mariana Silva
Mobilidade e ambiente são bandeiras de Mariana Silva
Quinta-feira, Março 23, 2017

O nome de Mariana Silva é o segundo a ser lançado para liderar a Assembleia Municipal de Guimarães. Também pela CDU, mas para a presidência da Câmara, corre o atual vereador Torcato Ribeiro.

No encontro autárquico realizado no passado sábado, Mariana Silva anunciou que vai encabeçar a lista da CDU para a Assembleia Municipal, em eleições que se deverão realizar no próximo mês de outubro. A aposta nos transportes públicos e a defesa do ambiente são as principais bandeiras da candidata.

“Não desistiremos de continuar a defender as reservas agrícolas e as ecológicas que estão constantemente a ser invadidas a pretexto do dito interesse municipal, que por vezes interessa apenas a uns poucos e não a todos”, avisou Mariana Silva, que disse que continuará “atenta a todo o processo da Capital Europeia Verde”. Disse ainda que não vai silenciar o “contínuo processo de poluição do Rio Ave, por descargas, que ficam quase sempre sem responsáveis ou consequências”.

Outro dos pontos levantados pela candidata passa pela questão do Hospital de Guimarães e promete luta por uma unidade de saúde “com todas as valências, com um Serviço de urgências renovado, com mais profissionais para um atendimento mais rápido e atencioso”. Também a situação dos bairros sociais, nomeadamente a do Emboladoura, foi alvo do discurso de Mariana Silva.

“Não vamos desistir da mobilidade em todo o concelho de Guimarães. Todos os vimaranenses devem ter a possibilidade de se deslocarem em transportes públicos, confortáveis, com horários aceitáveis, a preços acessíveis e com rotas que sirvam a todas as freguesias”, considerando este factor fundamental para a adopção de “comportamentos que respeitem o ambiente”. “Mais transporte público significa menos barulho, menos confusão, menos poluição e menos parques de estacionamento pagos”, resumiu.

Mariana Silva pretende ainda ver alterado o regulamento da Assembleia Municipal: defendeu que é imperativo que o período para ser dada a palavra ao público deve abrir cada uma das sessões. “Um projeto que, levando para a Assembleia Municipal a verdadeira democracia, a real participação de todos, continuará a exigir tempos de intervenção distribuídos de forma equilibrada e o acesso a toda a informação para que a AM seja um lugar de debate político em que a maioria aplica a regra do ‘quero, posso e mando’”.

O nome de Mariana Silva é o segundo a ser lançado para liderar a Assembleia Municipal de Guimarães. Também pela CDU, mas para a presidência da Câmara, corre o atual vereador Torcato Ribeiro. Em abril do ano passado, José Pedro Aguiar-Branco anunciou a sua candidatura à AM pela Coligação Juntos por Guimarães (PSD, CDS e MpT), que apresentou o nome de André Coelho Lima para a Câmara. O Partido Socialista ainda não tem nome para a AM, sendo que é público que António Magalhães não vai a jogo. Domingos Bragança já anunciou que quer recandidatar-se. O Bloco de Esquerda ainda não divulgou os nomes para a Câmara nem para a AM.