PUB
Maternidade, quotas e trabalho discutidos num encontro com mulheres vimaranenses
Maternidade, quotas e trabalho discutidos num encontro com mulheres vimaranenses
Quarta-feira, Março 15, 2017

Trabalho, maternidade e quotas foram os temas que dominaram um encontro informal que o candidato à Câmara pela Coligação Juntos por Guimarães, André Coelho Lima, promoveu na sexta-feira passada. Ficou claro que para as 13 vimaranenses convidadas ainda há muito a fazer pela emancipação feminina.

Ilda Pereira, atleta de elite de BTT, Inês Doutel de Almeida, investigadora, Judite Dias, da Obra Social do Sagrado Coração de Maria, Ana Mota, da Associação “Os Incríveis”, Sara Coutinho, voluntária, Maria Vieira da Silva, consultora de programas de cooperação da UE e da ONU, Conceição Príncipe, médica, Maria Manuel Alcântara, professora e historiadora, Isabel Fernandes, diretora do Museu Alberto Sampaio, Natália Fernandes, presidente de Junta, Vânia Dias da Silva, deputada, Susana Abreu, designer e figurinista, e Sandra Fernandes, empresária, foram as convidadas para o encontro “Ser Mulher no séc. XXI”.

Numa partilha de experiências pessoas e profissionais, foi unânime de que ainda há muito a fazer pela emancipação feminina. A questão das quotas é vista pela maioria como um “mal necessário” para que as mulheres alcancem a equidade de direitos. Excepção para a professora Maria Manuela Alcântara, para quem as quotas “inferioriza as mulheres”. Destaque ainda para a intervenção de Ilda Pereira, que sublinhou que “a realidade, principalmente para as que vivem no mundo rural e as que são operadoras fabris, está a anos-luz da lei”.

A desportista partilhou a “dura realidade” do “mundo do ciclismo para as mulheres”, sendo impossível conciliar, por exemplo, uma gravidez com a permanência em competição. Ainda sobre a maternidade, Sara Coutinho, que se desloca em cadeira de rodas, questiona-se sobre “como seria ser mãe com as limitações de mobilidade que existem na cidade de Guimarães”.