PUB
Manuel Ribeiro promete governação de continuidade na junta de Caldelas
Manuel Ribeiro promete governação de continuidade na junta de Caldelas
Segunda-feira, Agosto 7, 2017

O primeiro ato público da candidatura de Manuel Ribeiro, para a campanha autárquica às eleições de 1 de outubro, decorreu no antigo mercado. Tal como nos cartazes, “Manecas” e “Tino” (como foram chamados) apareceram lado a lado, defendendo a continuidade na junta de Caldelas.

O formato de arraial popular foi mais uma vez o escolhido, desta feita para a primeira apresentação pública de Manuel Ribeiro, como candidato à junta de Caldelas, pela coligação Juntos por Guimarães (JpG), na sexta-feira 4 de agosto. Até à chegada de André Coelho Lima, que só aconteceu já passavam das 22 horas, o recinto do antigo mercado da vila das Caldas das Taipas foi animado com música popular, enquanto os presentes se distribuíam pelas mesas corridas, saboreando vários petiscos.

Foi o momento inicial para Manuel Ribeiro apresentar algumas das suas ideias para a freguesia de Caldelas no caso da sua eleição a 1 de outubro. Para o atual tesoureiro da Junta de Freguesia de Caldelas não há dúvidas que esta se trata de uma candidatura forçada pela circunstância de Constantino Veiga não se poder recandidatar.

Nesse sentido, lançou rasgados elogios aos executivos liderados por Constantino Veiga, tendo a sua intervenção sido substancialmente baseada no trajeto do atual presidente da autarquia taipense. Na opinião do candidato da coligação JpG, Constantino Veiga colocou a fasquia a alto nível, projetando “de forma indiscutível e definitiva a vila de Caldas das Taipas, como polo urbano mais importante do concelho de Guimarães”.

Destacou a revigoração feira semanal, a associação das cutelarias à vila, a transposição dos 5 mil eleitores e a elevação das festas da vila, entre outras, como algumas das realizações mais proeminentes dos últimos mandatos. De forma mais contundente atribuiu a Constantino Veiga o facto de ter colocado na agenda a defesa e a despoluição do Rio Ave, referindo-se ao projeto que se encontra a ser executado pela Junta de Freguesia, para a requalificação da margem direita do rio. Tudo isto, referiu, é o resultado de “muito trabalho e espírito de iniciativa”.

O candidato do PSD lançou igualmente algumas ideias para o futuro, que poderão configurar a ação de um executivo por si liderado. Desde logo, o alargamento do parque de lazer até à Praia Seca. Outro aspeto que destacou foi a execução da requalificação do centro da vila, projeto do qual diz a coligação ter sido pioneira na sua reivindicação, resolvendo o problema da falta de estacionamento.

Além disso, defendeu a instalação de um centro interpretativo para as cutelarias, assim como a criação de um corpo de jardineiros e de técnicos de construção civil para resolver “problemas do desgaste urbano”. A delegação de competências da câmara na junta, para “chegar mais rápido e melhor onde o município não chega”, será um dos aspetos que deverá transitar para um possível mandato do PSD/CDS em Caldelas.

A crescente importância de Caldas das Taipas como centralidade traz um conjunto de preocupações que Manuel Ribeiro garante que terá em atenção caso seja eleito. A requalificação da EN101, rejeitando a solução de acessibilidade ao Avepark apresentada pela Câmara Municipal de Guimarães e a defesa do nó da auto estrada que sirva Caldas das Taipas e a região envolvente serão temas que deverá acompanhar de perto.

Constantino Veiga: “o Doutor Manuel Ribeiro vai mandar e eu vou atrás dele”

Ainda antes de Manuel Ribeiro, foi Constantino Veiga o primeiro a subir ao palco, acompanhado pela equipa que trabalhará na campanha. Ali estavam alguns dos prováveis candidatos que acompanharão Manuel Ribeiro na sua lista. Desde logo, o próprio Constantino Veiga, que já garantiu que continuará na Junta de Freguesia. O Reflexo conseguiu apurar que José Maria Gomes, Sara Martins e Sónia Mendes são nomes que, muito provavelmente, farão parte dos lugares cimeiros da lista.

O presidente da Junta de Freguesia de Caldelas pautou a sua intervenção pelas suas realizações como autarca desde 2001, sem nunca largar de vista os alvos de ataque – sejam os seus adversários partidários, seja a Câmara Municipal de Guimarães, argumento recorrente na retórica de Constantino Veiga. O discurso agressivo foi transversal apesar de pouco habitual vindo de alguém que desempenha no presente um mandato autárquico.

Veiga apresentou Manuel Ribeiro como seu sucessor natural, apontando-o como a pessoa indicada para dar continuidade ao trabalho que a atual equipa do executivo de Caldelas tem levado a efeito.

Essa sucessão, lembrou, acontece por limite de mandatos, garantindo de seguida que vai continuar a trabalhar porque quer ver as realizações para as quais diz ter trabalhado – “eu quero acabar aquilo que comecei e por isso quero continuar a trabalhar para os taipenses. Quero contribuir para a melhoria do nosso concelho”, referiu.

Numa espécie de resumo da sua série de mandatos, Constantino Veiga realçou a sua preocupação na recuperação do Rio Ave para benefício da população, lembrando o projeto de requalificação recentemente apresentado pelo seu executivo. “Hoje a vila é topo de gama, é uma vila em crescendo, próspera, com mais habitantes e mais investimento”, foi desta forma que classificou o estado atual da vila.

O presidente da junta não deixou de lançar duras críticas à Câmara Municipal de Guimarães – “a nossa vila tem conseguido ultrapassar todos os obstáculos que vêm do outro lado do rio, do outro lado chamado Câmara Municipal de Guimarães”.

Também não esqueceu o principal adversário da candidatura. Luís Soares foi igualmente alvo de Constantino Veiga, que o acusou de ser um dos deputados que mais falta no Parlamento português – “se assim é na Assembleia da República, como será na Junta de Freguesia? Onde andou este homem durante este tempo todo, que aparece agora com um cartãozinho de deputado?”, atirou.

Ligação ao Avepark “é estourar dinheiro público”

Coube a André Coelho Lima encerrar a série de intervenções políticas da noite. O candidato da coligação JpG à câmara realçou o trabalho efetuado por Constantino Veiga “não em nome de um partido, mas em nome do povo das Taipas”. Apesar das diferenças iniciais que disse terem existido entre os dois, reconheceu que foi com quem ficou a conhecer as aspirações “justas e legítimas” dos taipenses e das Taipas.

O candidato Coelho Lima recuperou algumas das ideias que trouxe à vila em meados de junho, numa conferência realizada no centro da vila. Defende “a expansão da vila das Taipas”, por acreditar que tal será importante para o crescimento do concelho de Guimarães e espera poder executar as propostas que já apresentou para a vila no decorrer da sua campanha.

Começou por chamar a si o facto de ter sido o primeiro a defender a requalificação do centro da vila das Taipas. Sobre este ponto avançou mais, declarando que este deveria ter sido o projeto prioritário, por se tratar da requalificação do centro da vila mais representativa do concelho. Para André Coelho Lima, será importante encontrar uma solução para o estacionamento, para que não se cometam os mesmos erros que se cometeram no Toural.

A requalificação da EN101 será prioritária para o candidato. Assim como o nó da auto estrada que sirva a região norte do concelho, por “uma questão de justiça e de inteligência”. Ao mesmo tempo disse que os 17 milhões de investimento anunciados para a via de acesso ao Avepark são uma forma de “estourar dinheiro público”.

A repartição do capital social da Taipas Turitermas, entre a Câmara Municipal de Guimarães (atual acionista maioritário) e a Junta de Freguesia de Caldelas foi outro ponto que Coelho Lima garantiu pôr em prática como presidente de câmara. Segundo o candidato, esta será uma forma de ganhar o respeito da população e evitar que uma empresa municipal seja uma forma de demonstração de poder alternativo ao que o povo escolheu nas urnas.