PUB
Manuel José Pereira, professor nas Taipas: 71 anos do seu desaparecimento
Quinta-feira, Março 2, 2017

A 6 de abril de 1945 falecia nesta vila, o distinto professor primário aposentado Manuel José Pereira, com 80 anos de idade e que na altura desempenhava o cargo de secretário da Junta de Freguesia de Caldelas. O professor Manuel José Pereira foi o primeiro professor oficial desta vila. Na época, o seu falecimento contristou profundamente os habitantes desta localidade, tendo exercendo o professorado nas Taipas durante cerca de 50 anos. Era pai de D. Virgínia Martins, professora oficial, que durante décadas foi também docente na Escola Primária do Pinheiral, desta povoação. Era pai igualmente do Sr. João Martins e do Sr. Roberto Martins e sogro do Sr. José de Sousa, 1ºsargento, e da Sr.ª Margarida Oliveira.

Este docente era natural da freguesia de São Torcato, e após ter concluído o seu curso de professor, veio para as Taipas, funcionado a escola primária num modesto edifício, sito no lugar do Banco. Foi um homem de ação, quer como docente, quer como bairrista. Em pouco tempo lançou a ideia de as Caldas das Taipas possuírem um edifício público para o ensino primário. Imediatamente os habitantes e as autoridades oficiais uniram-se na concretização da construção de um edifício no lugar do Pinheiral, que o professor Manuel José Pereira auxiliou concorreu com um importante donativo destinado à mão de obra.

Durante a sua vida, o Sr. Manuel José Pereira não se limitou ao exercício da atividade docente do ensino primário oficial. Foi o primeiro comandante da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas, fundada em 1887. Presidiu à direção da Banda das Taipas, foi juiz de Paz da freguesia de Caldelas e cartorário de várias irmandades e confrarias religiosas. Foi Presidente e secretário da Junta de Freguesia de Caldelas e Diretor Secretário da Cantina Escolar “28 de Maio”. Quando atingiu o limite de idade, 70 anos, os seus antigos alunos prestaram-lhe uma homenagem a que se associaram as entidades oficiais concelhias, nomeadamente a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia Local. Nessa sentida homenagem foi colocada na sala de aula da Escola do Pinheiral uma pintura a óleo oferecida pelos seus alunos.

O seu funeral realizou-se com missa de corpo presente na Igreja Matriz das Taipas, com larga assistência de pessoas e tendo incorporado no cortejo fúnebre, a corporação dos Bombeiros Voluntários das Taipas com a sua direção, representantes da Junta de Freguesia de Caldelas e da Junta de Turismo da Estancia Termal das Taipas, bem como irmandades e confrarias da região. Foi sepultado no cemitério paroquial desta localidade.

Esta personalidade assumiu várias funções nesta vila, possuindo atualmente na toponímia desta vila, uma artéria a ele dedicada.