Mais uma descarga…
Quinta-feira, Outubro 4, 2018

O rio Ave sofreu mais um atentado ambiental. Num dos afluentes, ribeira da Agrela, em Barco, foi despejada uma descarga ao que tudo indica de um coletor de saneamento. Morreram centenas de peixes.

É verdade que os acidentes acontecem, mas no rio Ave tem acontecido vezes demais. Não é admissível que um território que pretende ser Capital Verde Europeia (CVE), assista a sucessivos atentados ambientais no seu principal rio.

Aliás, referência bem expressa no relatório de avaliação da candidatura a CVE onde os recursos hídricos tiveram fraca avaliação.

Sempre defendi, tal como o PSD, que mais importante que os títulos é Guimarães, definitivamente, adotar políticas municipais que promovam o desenvolvimento sustentado e que resolvam definitivamente os principais problemas já identificados. O rio Ave é um deles.

Mas que reação teve a autarquia a mais este atentado? Nenhuma. Ao contrário do comportamento exigente e determinado que teve em anteriores descargas realizadas por privados ou pelas Águas do Norte, desta vez, fez-se silêncio.

Será porque o principal suspeito desta descarga é a empresa municipal Vimágua?!

A confirmarem-se as notícias, não pode a autarquia deixar de assumir as responsabilidades políticas deste ato, exigindo da Vimágua o mesmo que tem exigido, e bem, das empresas privadas ou das Águas do Norte. Se assim não for, perderá total legitimidade perante casos futuros.

O problema principal desta liderança municipal é não perceber que Guimarães tem muitas fragilidades em questões básicas e que, enquanto não as resolver, viveremos na aparência de ser o que não somos.