Limites da freguesia de Longos com Braga levam candidato autárquico a contestar atuação da Câmara e Junta de Freguesia
Limites da freguesia de Longos com Braga levam candidato autárquico a contestar atuação da Câmara e Junta de Freguesia
DR
Quarta-feira, Setembro 6, 2017

O candidato por Longos da Coligação Juntos por Guimarães, acusa Câmara Municipal e Junta de Freguesia local de uma gestão de “fachada” no que respeita à Igreja de Santa Maria Madalena, na Falperra.

João Ribeiro, candidato por Longos da Coligação Juntos por Guimarães (CJpG), foi durante 12 anos (2001-2013) presidente da Junta de Freguesia de Longos. Em nota distribuída à imprensa diz ter encetado, durante os referidos três mandatos “uma luta na defesa dos interesses da freguesia relativamente à Igreja Santa Maria Madalena e dos limites da freguesia com o concelho de Braga, numa altura que perpassava a ideia para muita gente que a Falperra estava situada em Braga”.

Tendo-se constatado que os terrenos pertencentes à Irmandade daquela Igreja estavam todos registados na conservatória, no concelho de Guimarães, refere João Ribeiro que “restava corrigir os limites nos mapas existentes, pois continham muitos erros e que prejudicavam muito a nossa freguesia e concelho”. O documento dá conta que foi realizado um levantamento dos marcos existentes para posterior georreferenciação pelos serviços camarários para se proceder às devidas correções nos mapas existentes que indicavam metade da Igreja de Santa Maria Madalena localizada no concelho de Braga, “o que não é verdade”, diz João Ribeiro.

O candidato a Longos pela CJpG diz-se agora “espantado” por, após ter sido aprovado o PDM, ter-se procedido à classificação de Santa Maria Madalena da Falperra como Monumento Nacional e, mais recentemente, realizado um protocolo entre a Câmara Municipal de Guimarães, Câmara Municipal de Braga e Irmandade daquele local, no sentido de cooperar no âmbito de uma assistência técnica ao procedimento de candidatura e execução do projeto de Requalificação, Reconstrução, Conservação e Reabilitação da Estância de turismo religioso, cultural e natural da Falperra, ter verificado que a Câmara Municipal de Guimarães “não fez rigorosamente nada”. O candidato considera ainda “pior” o atual executivo da Junta de Freguesia “nada dizer ou fazer para que a freguesia não fique prejudicada. Tanto a gestão Camarária como a gestão desta Junta de Freguesia, relativamente à Falperra tem sido só fachada pois, naquilo que é importante, estão em falta. Inclusive num recente investimento no melhoramento da estrada municipal 585, foi esquecido este importante acesso a este local de culto e ao concelho de Braga. Relativamente á promoção em termos turísticos e de culto, até este momento nada foi feito. Lamentamos profundamente esta postura de duas entidades que tudo deveriam fazer na defesa dos interesses da nossa freguesia”, diz João Ribeiro a este propósito.