PUB
Ligações ilegais de águas pluviais aos intercetores residuais, na origem da descarga na Ribeira da Agrela
Ligações ilegais de águas pluviais aos intercetores residuais, na origem da descarga na Ribeira da Agrela
Manuel Silva
Sexta-feira, Setembro 8, 2017

A forte pluviosidade que se verificou no norte do país, entre os dias 28 e 29 de agosto, levou a que se verificasse um conjunto de descargas de águas residuais com elevada componente de águas pluviais.

A Águas do Norte é quem o refere em resposta a algumas questões colocadas pelo Reflexo, no seguimento da descarga de águas residuais ocorrida no passado dia 29 de agosto e que tem motivado troca de acusações entre a Junta de Freguesia de Caldelas e a Vimágua.

A entidade gestora do sistema multimunicipal de abastecimento de água e saneamento, em “alta”, confirma já ter esta situação identificada e que estão a planear uma ação de limpeza da área afetada.

Com 1.850 km de intercetores sob sua gestão, a Água do Norte dá conta de que as suas equipas realizam inspeções regulares às infraestruturas de transporte de águas residuais e que esta situação pontual se verificou pela existência de “ligações ilegais de águas pluviais” ao coletor que, assim, perdeu a sua capacidade de transporte.

“Confirma-se que este episódio resulta da ligação indevida de águas pluviais à rede de saneamento, situação infelizmente muito habitual e que conduz à descarga de águas residuais diluídas nos meios recetores, por falta de capacidade de transporte dos sistemas intercetores. A responsabilidade pela gestão das redes pluviais e pelas redes de saneamento municipais é dos municípios, ou das entidades subcontratadas por estes, pelo que caberá a essas entidades a fiscalização da admissão de águas pluviais aos sistemas geridos pela Águas do Norte. A Águas do Norte, conhecedora do efeito negativo destas afluências indevidas, tem alertado as entidades gestoras e fiscalizadoras, incluindo a Agência Portuguesa do Ambiente, para este facto”, disseram a este propósito.

Artigos Relacionados