L’Agosto: três dias de música contemporânea nos jardins do Museu Alberto Sampaio
L’Agosto: três dias de música contemporânea nos jardins do Museu Alberto Sampaio
© Direitos Reservados
Terça-feira, Julho 30, 2019

Partilhando paredes com as obras de arte expostas no museu do centro da cidade, o festival urbano L’Agosto aposta num cartaz que reúne nomes como The Field, TOY, Sensible Soccers, The Psychotic Monks e Scúru Fitchádu.

A terceira edição do festival L’Agosto regressa ao local onde se realizou na sua edição inaugural, nos jardins do Museu Alberto Sampaio. Na edição do ano passado o evento foi transferido para junto do Paço dos Duques de Bragança, devido às obras que se realizavam no espaço do museu.

Os destaques para esta edição do festival são naturalmente os cabeças de cartaz – o projeto The Field, do produtor sueco Axel Willner e do quinteto londrino TOY. Serão nove concertos, divididos por três dias, que aparentam seguir um critério temático, algo que já tinha acontecido na edição do ano passado. O L’Agosto começa dia 1, quinta-feira, com concertos de projetos nacionais.

Dia 1

Os JIBÓIA regressam a Guimarães (estiveram no passado mês de fevereiro no CC Vila Flor) ainda com o disco “OOOO”, lançado no final do ano de 2018 pela Discrepant Records.

Para a mesma noite estão reservados concertos do rapper Allen Halloween, que virá a Guimarães fazer a crónica sem filtros do lado negro de Portugal, como o próprio costuma descrever a sua música. Lançou-se numa carreira discográfica há mais de uma década (12 anos para ser mais preciso), com o disco “Projeto Mary Witch”. O último disco chama-se “Híbrido” e é datado de 2015. Allen Halloween (nascido Allen Pires Sanhá, em Bissau) assina também a produção dos discos sob o pseudónimo Maradox Primeiro.

A noite de quinta-feira, 1 de agosto, reserva ainda um outro regresso à cidade. Scúru Fitchádu, de Marcus Veiga, é a oportunidade de ouvir e ficar a conhecer como resulta o cruzamento do funaná de Cabo Verde com referências do punk e do rock, numa síntese trabalhada eletronicamente, com recurso a batidas e a baixas frequências que convidam à dança e ao êxtase.

Dia 2

O segundo dia segue com as propostas internacionais do L’Agosto. O duo inglês composto por Kat Day e Nicholas Wood tem o mais recente disco com data de 2019. Será uma noite praticamente dedicada às sonoridades pós-punk, o disco “Only Now Forever” enquadra-se no movimento em constantemente renovação desde que os Joy Division começaram a interpretar o punk-rock do seu modo muito particular.

O número seguinte do cartaz segue portanto um enquadramento semelhante. The Psychotic Monks é uma interpretação atlântica do punk, na medida em que a banda recolhe elementos do grunge – que não é mais do que uma reinterpretação do punk nos EUA, na déacada de 1990. O quarteto francês tem um disco novo acabado de lançar. “Private Meaning First” é o mais recente lançamento da banda, com data de março último.

Provavelmente um dos nomes mais notáveis do cartaz de 2019 do L’Agosto, os TOY tornaram-se populares logo ao primeiro disco, lançado em 2012. A banda alinhava por um padrão do indie-rock, então num momento de grande vitalidade, onde pontificavam outras bandas como os The Horrors ou Yuck.

Por altura do lançamento do álbum homónimo, o site The Quietus descrevia os TOY como capazes de tornar novamente “interessante e relevante rock feito com guitarras”. O quarto disco da banda londrina volta a recolher unanimidade da crítica. “Happy In The Hollow”, lançado este ano, tem sido apontado como o melhor disco da carreira da banda.

Dia 3

O último dia de L’Agosto desenrola-se pelos domínios da música eletrónica. A noite será coroada pelos reverenciados The Field. O culto em torno do projeto de Axel Willner vem sendo alimentado de forma constante desde que “From Here We Go Sublime” surge em 2007 pela mão da editora Kompact – editora com base em Colónia, na Alemanha, e casa de nomes como Sven Väth ou The Orb.

A reinterpretação ao vivo de “Infinite Moment”, recebido com aclamação generalizada, deverá ser o foco no set de Axel Willner (“Made of Steel. Made of Stone” tem sido a faixa de abertura dos últimos concertos), mas com chamada de temas mais antigos, dos cinco álbuns anteriores do músico.

A noite de sábado no jardim do Museu Alberto Sampaio reserva ainda aparições de Sensible Soccers e de B Fachada. A banda, agora reduzida a dois dos seus elementos originais contará com os préstimos de André Simão, Jorge Carvalho e Sérgio Freitas. A banda lançou “Aurora”, disco de 2019 produzido por B Fachada. Será este que abrirá o palco no último dia de L’Agosto.

Os bilhetes para cada um dos dias custam 15 euros e o passe geral para os três dias do festival valem 25 euros. Estão à venda na Bilheteira Online, podendo ser também adquiridos nos balcões associados – postos de correios, lojas Worten e FNAC, entre outros. Os concertos começam às 22h30.