PUB
José Eduardo de Carvalho Crato: 70 anos do seu falecimento
Quinta-feira, Junho 22, 2017

Há precisamente 70 anos, no dia 1 de maio de 1947, falecia na sua residência, na rua da Agra, na Foz do Douro, o Comandante da Armada José Eduardo Carvalho Crato. Durante alguns anos, este oficial da Armada residira em São Clemente de Sande, na Quinta da Mogada, tendo desempenhado o cargo de Presidente da Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas. O processo de elevação das Taipas à categoria de vila, muito deve aos esforços de Carvalho Crato. Foi durante a sessão extraordinária de 27 de abril de 1940, da Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas presidida pelo Comandante José Eduardo de Carvalho Crato, presidente da mesma, estando presente os restantes membros Francisco Pereira de Carvalho Ribeiro, Tomás Rocha dos Santos, Joaquim da Silva Ferreira Monteiro e João de Miranda Castro Antunes Guimarães, por unanimidade foi decidido pedir ao Ministro do Interior a elevação de vila da freguesia de Caldelas e povoação de Caldas das Taipas, ficando definido que o secretário da mesma Junta de Turismo dirigisse o pedido e solicitasse parecer favorável ao Governador do Distrito, Junta de Província do Minho, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e à Junta de Freguesia de Caldelas.

Os taipenses tiveram conhecimento da notícia de elevação das Taipas à categoria de vila, ao fim da tarde do dia 19 de junho de 1940, através da emissão radiofónica da Emissora Nacional. A notícia correu rapidamente não tardando que repicassem os sinos da igreja matriz, estralejassem os foguetes e uma banda de música percorresse as principais artérias da nova vila, enquanto que em frente à sede da Junta de Turismo da Estância Termal das Taipas se aglomerou um grande número de taipenses, que para aí convergiu, ao som dos hinos das Taipas e da cidade de Guimarães. Numa das sacadas da sede da Junta de Turismo, o Sr. Tomás Rocha dos Santos proferiu um discurso improvisado, manifestando o seu contentamento pela notícia de elevação das Taipas à categoria de vila, que constituía há muito tempo o sonho dourado de todos os taipenses. Neste discurso, Rocha dos Santos, tem palavras de reconhecimento e de apreço para com o Dr. João Antunes Guimarães, deputado da Nação, e para com o Comandante José Eduardo Carvalho Crato, presidente da Junta de Turismo, personalidades a que as Taipas muito deviam. As palavras de Rocha dos Santos foram concluídas por uma prolongada salva de palmas, sendo levantadas vivas ao Dr. João Antunes Guimarães, ao Comandante Carvalho Crato, ao Ministro do Interior e a Portugal.

Carvalho Crato desempenhou igualmente as funções de Presidente do Conselho de Administração dos Portos de Leixões e Douro. Este distinto oficial da Marinha de Guerra executou várias comissões de serviço, tendo comandado várias unidades navais (destacamos o navio-hospital Gil Eanes e a fragata D. Fernando II e Glória) e a Escola de Artilharia Naval. Possuía várias condecorações nacionais e estrangeiras. Foi igualmente adido naval em Paris e sobraçou a pasta das Colónias. Carvalho Crato nascido em 1877, em Setúbal, casaria com a D. Margarida Barros Pereira de Carvalho Crato, sendo tio da esposa do sr. José Rosas Guimarães, vereador da Câmara Municipal de Guimarães. Mais tarde, o seu sobrinho José Rosa Guimarães iria igualmente presidir à Junta de Turismo das Taipas.

O Comandante Carvalho Crato foi determinante na elevação das Taipas à categoria de vila, possuindo na toponímia desta vila, uma artéria a ele dedicada.