PUB
João Ferreira, pois claro!
Quinta-feira, Janeiro 21, 2021

No Domingo, dia 24 de Janeiro, os portugueses irão exercer o seu dever de cidadania e votar para eleger o Presidente da Republica para os próximos cinco anos. O processo eleitoral já se iniciou no dia 17 onde um número significativo de eleitores, confrontados com impedimentos e dificuldades para o fazer no dia 24, votaram antecipadamente. A mobilização verificada indicia vontade dos portugueses em participar neste acto eleitoral em que, baseados em anos anteriores e sabendo que há a recandidatura do actual presidente, a abstenção costuma ser bastante elevada.

No boletim de voto constam 8 candidatos, mas um deles, o primeiro da lista, não conta, apenas serve para nos lembrar o quão precipitado e em cima da hora se organizou todo o processo eleitoral, ao admitir um candidato que não cumpriu as formalidades legais – entregou meia dúzia de proposituras quando a lei exige o mínimo de 7500.

Em fase de pré campanha estive na apresentação do candidato João Ferreira em Guimarães numa sessão realizada no Laboratório da Paisagem, e constatei aquilo que já sabia – a campanha para o parlamento europeu já o revelara – que este candidato era uma lufada de ar fresco no panorama das candidaturas em presença. Jovem, comunicativo, conhecedor das diversas matérias em debate e com uma enorme convicção na apresentação dos seus ideais.

Já em período eleitoral, o João Ferreira esteve novamente em Guimarães, desta vez no espaço recuperado da antiga Fábrica de Curtumes da Ramada, onde está instalado o Instituto de Design, num encontro limitado e condicionado pelas regras de saúde, para falar de cultura. Na sala, como convidados, estiveram presentes representantes de associações culturais vimaranenses e agentes culturais de diversas áreas. Pessoas independentes e de outros quadrantes político partidários que intervieram manifestando as suas preocupações perante as dificuldades que este sector, que envolve milhares de profissionais, está a passar pelas restrições do confinamento que intermitentemente se vai decretando desde Março de 2020 até agora.

Pela sua competência, pelo seu desempenho nos debates realizados e pelo reconhecimento público das suas grandes capacidades, João Ferreira ultrapassou o universo dos seus apoios partidários iniciais.
É o melhor e mais bem preparado de entre os candidatos de esquerda, e por isso merece que a esquerda concentre os seus votos nesta candidatura, dando força a um projecto responsável e sério, apoiado por quem, desde 1921, não desiste nem foge às responsabilidades, quando os verdadeiros interesses do país e dos portugueses estão em causa. Esta candidatura é a garantia do cumprimento, sucessivamente ignorado, da Constituição da Republica Portuguesa aprovada em Abril de 1976.

É a única candidatura que os portugueses podem encontrar ao lado dos trabalhadores, dos reformados, dos jovens e das mulheres, dos micro, pequenos e médios empresários, dos agricultores, sem artifícios nem duplicidades.

João Ferreira é o voto que, com coragem e confiança, abrirá um horizonte de esperança na vida deste país!