Intervenção na rotunda de Silvares passará por desnivelamento inferior
Intervenção na rotunda de Silvares passará por desnivelamento inferior
DR
Sexta-feira, Outubro 5, 2018

No final da reunião do executivo municipal, na manhã do dia 4 de outubro, Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, afirmou que o projeto a executar passa por um desnivelamento inferior da rotunda de Silvares.

De acordo com informações disponibilizadas pela Câmara, “o desnivelamento recorrerá a um túnel construído em sistema de rotunda vazada, que contará com um perfil de 4 metros e uma inclinação nas rampas de lançamento de 8%, o ideal para veículos pesados. A obra prevê ainda a construção de uma nova passagem pedonal (com uma via ciclável) que responda ao alargamento provocado pelas vias de acesso laterais”.
Esta solução teve em conta os estudos efetuados pela Infraestruturas de Portugal, aliado ao facto de a Câmara Municipal de Guimarães “se ter manifestado disponível para colaborar numa solução que não dependesse apenas de critérios financeiros”, como afirmou Domingos Bragança.

André Coelho Lima, “a solução apresentada pela coligação JpG era a mais barata”
É neste ponto que a oposição manifesta alguma estranheza. André Coelho Lima, no final da reunião do executivo, relembrou que o acesso à autoestrada e à rotunda de Silvares existe desde 2005, tratando-se de “um problema que se arrasta há treze anos”. Recordou que este foi um dos assuntos mais debatidos durante a campanha eleitoral, salientando que, se agora está em vias de resolução, “é devido ao debate político surgido nessa altura”.
No entanto, manifestou a sua satisfação por se ter finalmente apresentado uma solução, “seja através de um viaduto, seja por túnel”. Sobre a questão colocada por si na reunião de Câmara, “se foram estudadas alternativas”, André Coelho Lima diz que a resposta de Domingos Bragança foi “que sim, desde que não fosse a mais barata”.

O líder da coligação JpG afirmou que não quer acreditar que a Câmara tenha pedido às Estradas de Portugal para se gastar mais dinheiro, “somente para cumprir um capricho político-partidário”, acrescentando que “a solução apresentada pela coligação JpG era a mais barata, a mais eficaz e a que causaria menos constrangimentos na circulação automóvel enquanto decorrer a intervenção”. Finalizou, dizendo que a obra em causa “será mais uma a cair no final do mandato”.

Recorde-se que a 1 de outubro, em conferência de imprensa, José Manuel Faísca, diretor de Engenharia e Ambiente da IP, enquadrara a obra no âmbito do Programa de Valorização das Acessibilidades às Áreas Empresariais, um investimento de 102 milhões de euros que privilegia a construção ou melhoramento de acessos de tipologia last mile. Para o responsável da Infraestruturas de Portugal, a obra justifica-se pelo facto de se registar um tráfego elevado no local (26 mil veículos/dia), prevendo-se que signifique uma redução de 30% no tráfego de superfície.
Domingos Bragança referiu ser o desnivelamento da Rotunda de Silvares a 1ª fase do Projeto de Acessibilidade do AvePark, que contará ainda com a construção da nova rotunda de Ponte e os 7 quilómetros do tramo de ligação de Ponte ao Parque de Ciência e Tecnologia.