PUB
Iluminação, um carro alegórico e exposições farão umas Gualterianas diferentes
Iluminação, um carro alegórico e exposições farão umas Gualterianas diferentes
Bruno José Ferreira
Terça-feira, Julho 7, 2020

A Câmara Municipal de Guimarães, em conjunto com A Oficina, apresentou esta terça-feira a programação das Festas Gualterianas 2020, uma programação diferenciada das demais em virtude da pandemia. Haverá iluminações, exposições e um carro alegórico no coração da cidade, que não terá trânsito automóvel.

Um modelo obviamente diferenciado, mas que ainda assim não deixará de assinalar o maior momento festivo do concelho, tal como frisou Domingos Bragança, presidente do município. Este é um ano singular, pela excecionalidade. Quisemos que as Festas da Cidade e Gualterianas não tivessem nenhuma rutura na sua realização. Este ano também há festas, só que a programação será diferente, cumprindo as normas das autoridades de saúde. Isso para nós nunca estará em causa”, começou por referir.

Seguindo as indicações da Direção Gera de Saúde, que pode obrigar a atualizações desta programação, como ficou vincado, o primeiro fim-de-semana de agosto trará iluminações em espaços como o Castelo, a Muralha, a Igreja de São Francisco e a Igreja de São Gualter, um carro alegórico alusivo aos 100 anos de Amália Rodrigues a percorrer as principais artérias da cidade e ainda uma exposição na Alameda alusiva à Marcha Gualteriana.

Nesse sentido, Bragança faz o convite à participação responsável dos vimaranenses, “para viver o imaginário das Festas Gualteriana”, na medida em que “teremos umas Festas Gualterianas que ficarão para memória futura, trazendo à memória o que as festas foram até hoje e o que queremos que seja para o futuro”.

Adelina Pinto, vereadora com o pelouro da cultura, reforçou a intenção de “trazer as pessoas à cidade” pois “não queremos que se deixe de celebrar São Gualter, as Festas da Cidade e Gualterianas”, mencionou a vereadora, referindo que os artistas vimaranenses foram desafiados a criar eventos para o espaço público.

Para já ainda não se sabe se será possível ter os tradicionais pontos de restauração, nomeadamente farturas. Algo que ainda será trabalhado, mas que à primeira vista não está no horizonte. “Temos que ver, neste momento não sei. Diversões está fora de questão; farturas não digo que não se licencie, mas as autoridades de saúde terão sempre de se pronunciar, porque estamos a potenciar ajuntamentos”, assumiu Domingos Bragança.

O convite está feito, a intenção é que não se deixe de festejar as festas da cidade, mas “a saúde está sempre em primeiro lugar” e “caso seja necessário desconvida-se”, assegurou o presidente da Câmara Municipal.