PUB
Hospital Senhora da Oliveira
Sexta-feira, Dezembro 16, 2016

Na minha perspectiva há na sociedade portuguesa um amplo consenso sobre o significado e importância social da criação do serviço nacional de saúde (sigla, SNS).

Então quando se compara o nosso SNS com outras realidades estrangeiras, sobretudo as de países sempre considerados como exemplares, tipo EUA, os portugueses ficam contentes e bendizem uma das conquistas de Abril.

O nosso SNS está longe de ser a perfeição, mas não há português adoentado a quem um hospital público barre a entrada por não ter recursos ou não ter seguro de saúde, como acontece nos EUA.

Um serviço desta natureza exige vultuosos investimentos em equipamentos, pessoal médico, enfermeiros e auxiliares, medicamentos novos, sem esquecer a manutenção e conservação dos edifícios.

Os anos negros da austeridade dos governos do PSD/CDS traduziram-se em anos negros para a Saúde em geral e para o Serviço Nacional de Saúde em especial.

Ele foi a redução do pessoal, com os enfermeiros forçados até ao esgotamento a trabalhar em condições más, colocando em risco a saúde dos doentes.

Ele foi o corte mos fármacos, sobretudo nos mais caros, prolongando desumanamente o sofrimento e adiando a esperança de vida.

Ele foi a não modernização do equipamento.

Ele foi a manutenção de contratos de serviços ao exterior que podiam e deviam ser realizados no hospital.

O Hospital Senhora da Oliveira, de Guimarães, foi vítima de opções políticas centradas no empobrecimento como condição previa indispensável a um bem-estar que haveria de vir, mas ou vem muito tarde ou nunca vem.

O PCP acompanha atentamente o evoluir da vida do HSO, sendo de entre os grandes partidos o que mais permanentemente e regularmente o faz. Ainda há dias, a deputada comunista Carla Cruz reuniu com a administração para conhecer os efeitos de mais de um milhão de euro.

Mas do que vos quero mesmo falar falando do HSO é da pouca atenção que os vimaranenses lhe dedicam, deixando na penumbra uma instituição que presta muito à comunidade e não só.

Como alguém diz, até parece que o Hospital Senhora da oliveira não é de Guimarães. E isso não pode continuar.