Guimarães piora no Índice de Transparência Municipal
PUB
Guimarães piora no Índice de Transparência Municipal
Quinta-feira, Fevereiro 9, 2017

Guimarães caiu no ranking do Índice de Transparência Municipal (ITM). Em 2013 e 2014 estava no top ten a nível nacional: dos 308 municípios avaliados, o concelho vimaranense estava em 9.º lugar. Mas em 2015 despencou para o 43º lugar.

O ano de 2016 reservou mais uma queda para Guimarães, desta feita para o 61º lugar. O relatório foi divulgado esta quarta-feira, 08, pela associação Transparência e Integridade Associação Cívica (TIAC).

A transparência económico-financeira continua a ser a categoria em que a autarquia de Guimarães disponibiliza mais informação, alcançando os 100 pontos. Menos pontuação para a informação relativa ao urbanismo e à contratação pública, com 64 pontos. Abaixo está a disponibilidade de documentos para a consulta dos eleitores relacionadas com a organização, composição e funcionamento dos órgãos municipais, das taxas e regulamentos e da relação com a sociedade. Pior mesmo só o parâmetro da divulgação de planos e relatórios, com 36 pontos.

Comparando com os concelhos do Quadrilátero Urbano, Famalicão está melhor posicionado, no lugar 42 do ranking. Segue-se Guimarães, em 61º. Bem menos transparentes são os municípios de Barcelos, em 164º lugar, e Braga, a 174 lugares de Guimarães, na 235ª posição. Barcelos e Braga são altamente penalizados pela avaliação devido à falta de transparência na contratação pública.

Este índice, conforme é apresentado no site da associação, mede o grau de transparência das câmaras municipais através de uma análise da informação disponibilizada aos cidadãos nos seus websites e não representa um índice de corrupção, nem significa sucesso eleitoral ou satisfação do eleitorado.

Este ranking é publicado anualmente e avalia sete categorias: a informação sobre a organização, composição social e funcionamento do município; planos e relatórios; impostos, taxas, tarifas, preços e regulamentos; relação com a sociedade; transparência na área do urbanismo; transparência económico-financeira; transparência na contratação pública. É nesta última dimensão que as autarquias portuguesas, na sua generalidade, continuam com pouca informação. O site com mais transparência é, pelo segundo ano consecutivo, o do concelho de Alfândega da Fé, em Bragança, e o pior foi o concelho de Penela, de Coimbra.

A informação sobre o município de Guimarães está disponível neste site.

Artigos Relacionados