PUB
Guimarães inaugura gabinete de apoio para cuidar de quem cuida
Guimarães inaugura gabinete de apoio para cuidar de quem cuida
Sexta-feira, Fevereiro 19, 2021

Apoiar os cuidadores informais e instituições com intervenção neste campo é o principal objetivo do programa “Guimarães, concelho cuidador”.

A Câmara Municipal de Guimarães, em articulação com mais de 20 entidades públicas e privadas, apresentou oficialmente o programa “Guimarães, concelho cuidador”, cujo principal objetivo passa por apoiar os cuidadores informais e instituições com intervenção neste campo. O acordo vai, segundo a vereadora da ação social, Paula Oliveira, reforçar o “trabalho meritório na área dos cuidadores e potenciar sinergias existentes no território”. No âmbito da apresentação do programa, foi também inaugurado o Gabinete de Apoio ao Cuidador.

A funcionar nas instalações da Delegação de Guimarães da Cruz Vermelha Portuguesa, este espaço físico vai operacionalizar as áreas de atuação do acordo assinado com o consórcio de parceiros que se juntaram para promover o trabalho em rede, âmago do projeto “Guimarães, concelho cuidador”. Com o objetivo de cuidar de quem cuida, o gabinete vai, entre outras ações, divulgar, junto de cuidadores e instituições, práticas e iniciativas que concorram para o seu bem-estar; apoiar e qualificar a intervenção dos cuidadores e das instituições; ou identificar, a nível de apoio jurídico, legislação de interesse que possa ser transmitida a cuidadores e instituições.

Numa aprestação que decorreu através de videoconferência, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, realçou o trabalho de cooperação desenvolvido e deseja que as entidades envolvidas “dupliquem ou tripliquem” no futuro próximo, até porque reconheceu tratar-se de uma “temática muito difícil”. “Sabemos a situação de muitos cuidadores – trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana, sem interrupções. Algo que obriga a muita resistência e capacidade. É importante que nós, representantes institucionais, possamos dar o apoio para que os cuidadores possam desempenhar esse trabalho”, indicou.

Segundo o presidente da delegação de Guimarães da Cruz Vermelha, em virtude da pandemia, o gabinete vai estar aberto apenas duas vezes por semana. Armando Guimarães sublinhou o trabalho da rede de apoio na disponibilização de “horas e conhecimento” e enalteceu o carácter singular da iniciativa: “O que estamos a trabalhar é um piloto, atrevo-me a dizer que não há de haver projeto semelhante a nível nacional. Pretende-se uma rede colaborativa para que , dentro das mais de 20 organizações, consigamos criar uma lógica de partilha sem querer duplicar o trabalho que é feito, trabalhar em complementaridade. Sentimos que isto é um elemento diferenciador.”

O ponto de vista é partilhado por Domingos Bragança, que destacou o “envolvimento e a partilha” das entidades envolvidas. “Tenho a convicção que a sociedade de amanhã vai beneficiar muito desse apoio partilhado”, apontou.

O consórcio de parceiros conta com o Centro de Assistência Social à Terceira Idade e Infância (Castiis), que desenvolveu o programa “Cuidar de Quem Cuida” (CQC) com vista a capacitar técnicos e entidades locais para a intervenção, em rede, junto de cuidadores informais. A representante da instituição na conferência online, Carmina Rei, explicou a importância desta iniciativa: “Todos vamos, a certa altura, ter este papel de cuidadores. Estimava-se que existiam cerca de 800 mil criadores em Portugal, um número subestimado. Por causa da pandemia, serão 1,4 milhões. Uma população significativa, que precisa deste apoio.”