PUB
GRANDES MULHERES
Terça-feira, Maio 19, 2020

Caro Leitor,

É, na minha opinião, da mais elementar justiça que nesta fase de pandemia por que passamos, use este espaço de opinião para agradecer o trabalho de duas grandes MULHERES que têm sido o rosto da luta contra o COVID 19 em Portugal: Marta Temido e Graça Freitas!

Duas MULHERES que desde a primeira hora têm mostrado uma força e uma garra que, aliadas à sua competência permite que fiquemos com a máxima informação para combater este vírus o que, dentro do possível, nos sossega um pouco.

Duas MULHERES que nos habituamos a ver durante 30 minutos na hora do almoço e que muitos julgam, injustamente, apenas por isso, não entendendo que essa deveria ser a menor das suas preocupações. Afinal a sua formação não é a de estar frente às câmaras mas sim na área da saúde. Mas mesmo aí têm sido umas heroínas! Temos assistido, não poucas vezes, nesses briefings diários a jornalistas com uma sede de polémica que não se ajusta a este momento que deveria ser de união. Apenas procuram a polémica e não a melhor forma de informação. Para esses quanto pior melhor para puderem ter sensacionalismo. Um tipo de jornalismo já há muito conhecido noutros países e que em Portugal tem ganho algum espaço nos últimos anos e do qual devo assumir que não gosto!

Mas não queria desviar o tema das duas grandes MULHERES que quero aqui destacar. Duas MULHERES que certamente além da preocupação com a pandemia que não lhe deve sair da cabeça 24h/24h terão ainda para se preocupar, e como todos sabemos bem a preocupação que é, com os seus familiares, com todos os problemas de gestão desta pandemia no dia-a-dia e com todos os problemas que já havia no pré-COVID 19 e que não desapareceram.

Mas centrando o seu trabalho no COVID 19 podemos afirmar que estão a fazer um grande trabalho! Conseguimos em Portugal o principal objetivo que era que o nosso SNS não entrasse em colapso nos Cuidados Intensivos. É verdade que para isso foram sacrificados outros serviços do quotidiano dos hospitais, mas se avaliarmos bem a situação foi a escolha certa. Caso o SNS entrasse em colapso esses serviços do quotidiano seriam sacrificados à mesma e as vítimas de COVID 19 iriam sofrer com consequências muito mais nefastas. Por isso afirmar que foi a opção correta!

É verdade que às vezes podemos ter opiniões discordantes em relação às opções tomadas, é legítimo, mas a coerência e o critério uniforme que tem sido seguido permite-nos a todos encarar o futuro com mais confiança e acreditar que “VAMOS TODOS FICAR BEM”.

Ficarei eternamente agradecido ao trabalho destas duas GRANDES MULHERES.

Obrigado!