PUB
Futebol inglês vs futebol português
Sexta-feira, Julho 27, 2007

As competições de futebol em Inglaterra são, sem dúvida, das competições mais espectaculares do mundo! Ficamos normalmente maravilhados com toda a magia que se espalha pelos estádios ingleses, com jogadas e jogadores fantásticos.

O futebol inglês tem particularidades que são difíceis de encontrar em qualquer outro pais. O futebol português parece ser o inverso do futebol inglês.

O estilo de jogo adoptado pelos clubes ingleses é de futebol directo, em que se privilegiam passes longos, jogo vertical e transições rápidas. Isto leva a que os jogos tenham de uma intensidade e velocidade elevadas. O futebol português é um futebol menos intenso e de menores velocidades devido à utilização de um tipo de jogo em apoio e ataque organizado em jogadas com elevado número de passes “de pé para pé”.

Estou-me a lembrar de um jogo para as competições europeias (Taça UEFA) entre o Tottenham e o Braga onde se verificou uma diferença bastante acentuada entre a intensidade de jogo que cada uma praticava. A equipa inglesa quase atropelou os nossos compatriotas, apresentando-se com uma robustez física invejável.
Estes factores não se devem a falta de treinos nem a falta de ritmo competitivo dos nossos atletas portugueses mas, sobretudo, a dimensão financeira de cada clube. Passo a explicar! Não sei se já reparam, mas a qualidade dos plantéis das equipas inglesas não se ficam por 11 jogadores de campo, mas cerca de 24 jogadores prontos a jogar em qualquer altura do campeonato. A rotação dos ditos 24 jogadores faz-se nas diferentes competições (Taça da Liga, Taça de Inglaterra, campeonato e competições europeias), apresentando um 11 titular quase novo em cada competição. A quantidade de jogos que cada jogador inglês faz numa época (não tenho certeza) deve ser igual ou inferior aos jogadores mais utilizados dos plantéis portugueses.

Vejamos o que aconteceu ao Chelsea no campeonato passado. O Chelsea teve uma dificuldade enorme em manter a frescura física durante a época devido a ter um plantel desequilibrado, o que obrigou a utilizar, quase sempre, os mesmos jogadores e, como consequência, as lesões fizeram-se sentir.

Uma das grandes razões para o nosso futebol não ser tão competitivo é, sobretudo, a questão financeira. Mas não será certamente só esta a solução para a melhoria competitiva das nossas equipas.