PUB
Farfetch inaugurou novas instalações e reforça vínculo com Guimarães
Farfetch inaugurou novas instalações e reforça vínculo com Guimarães
Paulo Dumas
Quarta-feira, Maio 23, 2018

Com mais do dobro do tamanho do edifício anterior, foi oficialmente inaugurado um novo centro de produção de imagem digital, que alimenta a loja online de produtos de luxo. Sobre a localização em Guimarães, responsável da empresa assevera que “é fantástico estar aqui”.

Foi oficialmente inaugurado durante a tarde de quarta-feira 23, o novo centro de produção da Farfetch, localizado no Avepark. Na cerimónia inaugural estiveram presentes o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral; e a secretária de Estado da Indústria, Ana Lehmann.

No novo edifício tem 8 mil metros quadrados, mais do dobro do anterior edifício onde começou por se instalar Farfetch, localizado ao lado, num dos lotes do Avepark – Parque de Ciência e Tecnologia de Guimarães.

Ali passará a funcionar toda a linha de processamento de imagem digital que alimenta o site, que é o canal mais visível e procurado da empresa. A estrutura representa um investimento estimado em 3 milhões de euros, que permitirá aumentar a capacidade do centro no Avepark, onde a empresa está instalada des de junho de 2010.

Luís Teixeira, Diretor Geral da Farfetch sublinhou a importância da ocasião da entrada em funcionamento do novo centro, numa altura em que a empresa criada em Londres está a completar dez anos desde a sua fundação. Para o representante desta empresa unicórnio, existe um vasto leque de razões para celebrar o sucesso da Farfetch.

A Farfetch foi fundada por José Neves, que não esteve presente na cerimónia, que na altura aliou o seu gosto pela tecnologia ao gosto pela moda. Em dez anos a Farfetech tornou-se numa empresa líder, como plataforma global na venda online de produtos de luxo – cada compra registada no site tem o valor médio de 700 dólares (quase 600 euros).

O escritório existente no Avepark é um dos três existentes no país, estando para breve a abertura de um novo na cidade de Braga. Luís Teixeira traçou em números o perfil da empresa: 900 parceiros em 47 países; 2 milhões de clientes em 190 países. Trabalham na empresa duas mil pessoas, de 52 nacionalidades.

O responsável disse-se ainda orgulhoso pela inauguração das novas instalações em Guimarães, no local onde a empresa foi começou por se instalar aquando da sua criação e de onde nunca saiu: “não estamos arrependidos, é fantástico estar aqui” – referiu.

O ministro da Economia apontou a Farfetch como um dos melhores exemplos do potencial das startups. “A Farfetech é uma história fantástica que aconteceu em Portugal” – começou por dizer Manuel Caldeira Cabral, para concluir que o sucesso de empresas como a Farfetch, são um sinal positivo das políticas seguidas pelo atual governo.

O ministro enumerou várias medidas de apoio ao empreendedorismo, que estão a ser praticadas pelo atual governo, lembrando que a Farfetch começou há dez anos como uma startup e é hoje avaliada em mais de mil milhões de dólares.

O ministro referiu que este será o maior exemplo de “modelos de negócio disruptivos”, assentes numa forte componente tecnológica, que colocam as pessoas que nelas trabalham no centro das suas preocupações, para melhor servir os clientes que as procuram.

Além do ministro da Economia e da da secretária de Estado da Indústria estiveram presentes na cerimónia o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, juntamente com o vereador municipal do Desenvolvimento Econónico, Ricardo Costa. Foram ouvidas apenas as instervenções de Luís Teixeira e do ministro da Economia.