PUB
Executivo de Caldelas aprovou Plano para 2019 em “reunião descentralizada”
Executivo de Caldelas aprovou Plano para 2019 em “reunião descentralizada”
Paulo Dumas
Terça-feira, Dezembro 11, 2018

Luís Soares apresentou publicamente, em reunião da Junta de Freguesia de Caldelas, quais são os desafios do executivo que lidera para o ano de 2019. Se 2018 foi um “ano de consolidação”, o autarca acredita que 2019 será “ano de concretizações”.

A reunião do executivo taipense tinha na agenda da reunião a análise da atividade da Junta de Freguesia de Caldelas e ainda a aprovação do Plano e do Orçamento da freguesia para o ano de 2019. Os documentos foram aprovados por unanimidade dos elementos que compõem o executivo e deverão ser votados na próxima sessão da Assembleia de Freguesia.

Coube ao presidente Luís Soares a descrição daqueles que serão as ações que a Junta de Freguesia pretende levar à prática em 2019, ano que foi classificado pelo autarca como um “ano de concretizações”, tendo o ano que agora se presta a terminar sido de “consolidação”.

As intervenções no mercado e na Praia Seca, cujos projetos foram apresentados no passado dia 23 de outubro, deverão ser algumas das concretizações esperadas para o ano que vem, começou por reafirmar o autarca de Caldelas. Há ainda um conjunto de desafios, que decorrem dos protocolos para a gestão do parque de lazer e dos jardins da freguesia.

Dentro da gestão dos espaços ajardinados, o executivo prepara-se para delinear um conjunto de ações para dar resposta a cerca de um terço das reclamações que chegam à Junta de Freguesia e que respeitam à utilização dos jardins para passear os animais. A Junta quer iniciar um trabalho com a GNR local e vai distribuir dispensadores para recolha dos desejos dos animais.

Ainda no capítulo da gestão dos espaços verdes, a Junta de Freguesia prepara-se para abrir a possibilidade de ser a população a tomar um espaço para cuidar. Este projeto tem o nome de “Taipas a Florir” e deverá ter um regulamento próprio que deverá prever um apoio da freguesia às pessoas que queiram tratar de um espaço público ajardinado da freguesia.

O dossiê da Feira Semanal continua a ser dos que mais trabalho dão ao atual executivo. Luís Soares avançou que foi feita uma reorganização das contas da feira, tendo sido atualizados os montantes que eram devidos pelos feirantes. Os que tinham dívidas e optaram por não pagar foram impedidos de fazerem a feira das Taipas.

A feira semanal tem sido alvo de uma “gestão prudente”, segundo afirma o presidente da Junta. O valor líquido que liberta a feira, após pagos os encargos com o seu funcionamento, permite ser utilizado em investimento da Junta de Freguesia. Luís Soares refere contudo que isso ainda não se verificará este ano.

A feira semanal tem cerca de 60 lugares vazios. Está a faltar uma atualização do regulamento municipal, estando neste momento dez processos em espera de licenciamento na Câmara Municipal de Guimarães. Com a entrega destes lugares, Luís Soares espera ter uma revisão em alta das receitas provenientes da feira, que nos últimos meses do ano se situou em 9,8 mil euros por mês.

A reunião do executivo que aprovou os documentos do Plano e o Orçamento para 2019 aconteceu nas instalações do CART, no dia 8 de dezembro. O presidente da coletividade taipense, António Lima Pereira, foi quem começou por intervir, referindo-se às dificuldades na gestão da instituição, após terem sido reduzidos apoios da Câmara Municipal de Guimarães e da Junta de Freguesia de Caldelas.