PUB
Escolas estão a funcionar “dentro da normalidade” garante vereadora da Educação
Escolas estão a funcionar “dentro da normalidade” garante vereadora da Educação
Paulo Dumas
Quinta-feira, Setembro 20, 2018

As atividades letivas começaram normalmente nas escolas de Guimarães. A garantia foi dada por Adelina Pinto que admite existirem dificuldades ao nível do pessoal não docente. André Coelho Lima trouxe o assunto à reunião de Câmara.

Foi um início de ano letivo tranquilo e sem percalços. Quem o diz é a vereadora municipal de Guimarães, com responsabilidade no domínio da Educação. Adelina Pinto respondia ao pedido feito pelo vereador da coligação Juntos por Guimarães, André Coelho Lima, para que fizesse um balanço do início da atividade letiva.

A vereadora, realçou ainda o investimento por parte da autarquia, no sentido de equipar as escolas com as melhores condições de funcionamento, numa adaptação necessária das escolas às novas necessidades, nomeadamente tecnológicas.

O projeto educativo do concelho de Guimarães procurará capacitar os estudantes para a responsabilidade cidadã para o século XXI. Incluído neste domínio, a vereadora destacou o projeto para a educação patrimonial e a dinamização do Orçamento Participativo Escolas.

André Coelho Lima, que primeiro colocou a questão antes da ordem do dia da reunião do executivo municipal de quinta-feira, 20 de setembro, estranhou que no balanço pedido à vereadora da Educação não tenha sido referida a falta de assistentes operacionais em “praticamente todas as escolas”.

Coelho Lima estranhou ainda o facto de não terem sido feitas referências, na exposição de Adelina Pinto, à carta educativa. Lembrou que a revisão deste instrumento foi apontada como fundamental, pela vereadora da Educação desde o seu primeiro mandato.

Já em declarações aos jornalistas no final da reunião do executivo, Adelina Pinto reafirmou que as escolas estão a funcionar dentro na normalidade, desde que se iniciou o ano letivo de 2018/2019. Mas ressalvou que “o arranque do ano letivo nunca é um momento calmo para as escolas”.

Adelina Pinto reforçou que as atividades estão a funcionar em pleno em todas as escolas, mas concedeu que existem alguns problemas ao nível da colocação do pessoal não docente. Explica que esta é sempre uma área complicada, mas que a autarquia está a tentar corrigir.

Sobre a carta educativa, a número dois do executivo camarário garante que a plataforma está feita e deverá, nos próximos tempos, ter reuniões de trabalho com o ministério e com os agrupamentos de escolas durante o mês de outubro. Este será um dos últimos passos antes do lançamento da renovada carta educativa.

Adelina Pinto reitera que este deverá ser um instrumento dinâmico, que permitirá uma atualização em tempo real, à semelhança do que faz a plataforma Escola 360, desenvolvida pelo Ministério da Educação. A responsável quer que Guimarães esteja na linha da frente no processo de atualização das cartas educativas municipais.