Equipa do 3Bs desenvolve “penso inteligente” para cicatrização adaptada
Equipa do 3Bs desenvolve “penso inteligente” para cicatrização adaptada
© Direitos Reservados
Segunda-feira, Maio 27, 2019

Um penso que, através da libertação controlada de fibras de hidrogel, em alturas precisas, garante uma recuperação mais eficiente das feridas. Este “penso inovador” entra agora na fase de testes para posteriormente entrar no mercado.

O grupo de investigação 3Bs, instalado no Avepark, desenvolveu um penso para lesões da pele, que atua de acordo com as necessidades do paciente. A solução parte da ideia de “cicatrização ativa” em que o penso liberta um hidrogel adaptado às necessidades da ferida que se pretende tratar.

Esta solução precisa agora de dar os passos necessários para a sua comercialização. Para isso, o grupo de investigadores liderado por Rui L. Reis conseguiu uma bolsa no valor de 150 mil euros para financiar os testes necessários e permitir a entrada do tratamento no mercado.

A bolsa conseguida pelo grupo da Universidade do Minho é atribuído pelo Conselho Europeu de Investigação (ERC), organismo da Comissão Europeia, que tem como principal missão apoiar a investigação na União Europeia através de um conjunto de mecanismos e apoios financeiros.

Os próximos passos serão o desenvolvimento de um protótipo, processo que deverá ficar concluído até ao final de 2020. A ideia é, no final do projeto, criar oportunidades de negócio, com a criação de uma start-up e o seu financiamento para levar o produto ao mercado.