PUB
A época das notícias arqueológicas
Quinta-feira, Setembro 13, 2018

© Sociedade Martins Sarmento

Os meses de julho e agosto são o período em que uma parte substancial do país se encontra de férias, quando a atividade política atenua e a económica ganha algum fôlego turístico. É a época das notícias arqueológicas, quando a comunicação social gasta algum do seu valioso tempo a divulgar escavações, achados e descobertas. Embora os arqueólogos trabalhem todo o ano, em condições adversas particularmente no inverno, é no verão que conseguem apelar mais à curiosidade do público para os trabalhos que se vão realizando.

Nestes tempos em que a sociedade civil vai estando mais informada e sensibilizada, ou pelo menos assim procuramos que seja, para a proteção e estudo do património, várias pessoas procuram também participar em trabalhos arqueológicos. Além disso, diferentes equipas de Arqueologia divulgam os seus trabalhos em direto, emitindo vídeos dos trabalhos, procurando enfatizar a emoção da descoberta. Esta prática é arriscada, não porque muitas vezes a “montanha pare um rato”, mas porque, em bom rigor, os resultados dos trabalhos arqueológicos não se apuram no campo. As conclusões surgem efetivamente depois de limpos e estudados os materiais, cruzados os dados e trabalhada a documentação resultante da campanha. É, no entanto, compreensível esta prática porque, quando se atingem os resultados mais conclusivos, e mais interessantes, o verão já passou e, com ele, o entusiasmo e a atenção do grande público. Divulgar trabalhos em direto pode também, quem sabe, aguçar a curiosidade para novas conclusões.

Também na Citânia de Briteiros procurámos divulgar os trabalhos realizados, apresentando algumas informações preliminares aos visitantes que nos brindaram com a sua presença no campo. Até porque escavar na Citânia significa trabalhar num monumento permanentemente aberto ao público.

Foram várias as informações recolhidas nesta campanha de 2018, que abrangeu duas áreas distintas: um conjunto de habitação localizado na encosta, do qual já aqui falámos, e o ainda misterioso Balneário Este. Iremos falar destes dois espaços nos próximos meses.