Educação para a saúde
Quarta-feira, Maio 22, 2019

Entender o aluno como uma entidade completa saudável e equilibrada constituiu, desde sempre, uma prioridade deste espaço educativo, pelo que a promoção da saúde sempre se tornou relevante e essencial para o cumprimento desse objetivo. No ano letivo de 2006/07, surge a função de coordenador da Educação para a Saúde e com ela formalizou-se o Projeto Promoção da Saúde e Educação Sexual em Meio Escolar. Este permitiu sistematizar boas práticas no âmbito da promoção da saúde, nomeadamente pela dinamização de diversas atividades como ações de sensibilização; rastreios de saúde; construção de diários alimentares; campanhas de sensibilização; desenvolvimento de estudos de investigação, etc.

As áreas temáticas abordadas incluem a Educação Alimentar/Atividade Física, a Educação Sexual e Infeções Sexualmente Transmissíveis, a Prevenção e Consumo de Substâncias Psicoativas e a Saúde Mental/Violência Escolar. Tem sido ainda prática do projeto dinamizar a área dos Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida, pela pertinência do tema, que se revela fundamental na formação pessoal e cívica de qualquer cidadão.

No âmbito deste projeto, são disponibilizadas aos docentes um conjunto de atividades de promoção da saúde em formato de papel e através da plataforma Moodle. Estas visam apoiar os docentes na implementação dos Projetos de Educação Sexual de Turma, que preconizam a abordagem legal de um mínimo de quinze tempos letivos (50 minutos) anuais, em cada turma, sobre esta temática. Salienta-se a notória colaboração dos diretores de turma no desenvolvimento da Educação Sexual tendo sido sempre cumpridos os tempos letivos estipulados.

O Gabinete de Saúde é também um espaço dinamizado pelo projeto, que permite o atendimento individualizado ou em pequeno grupo, de forma a apoiar os alunos nas mais diversas áreas da saúde, proporcionando um contacto confidencial com possibilidade de encaminhamento para a Saúde Escolar, permitindo o acesso a consultas de especialidade, a serviço de enfermagem, psicologia clínica, nutricionista e assistente social. O envolvimento dos pais/encarregados de educação é essencial em todas estas dinâmicas, bem como em diversas atividades desenvolvidas pelo projeto, como por exemplo no rastreio de saúde “Estilo de Vida Saudável”, que permite a medição da tensão arterial e o cálculo do índice de massa corporal (relação entre o peso e a altura do indivíduo). Os pais/encarregados de educação são também chamados a colaborar no estudo de investigação “Opinião dos Pais/Encarregados de Educação – A Saúde na Escola”, realizado anualmente, dando o seu contributo na definição de temas prioritários a abordar na escola na área da saúde, assim como na avaliação do trabalho desenvolvido nesse ano letivo.

Realça-se a promoção e proteção da saúde, o bem-estar e o sucesso educativo das crianças e jovens escolarizados como forma de legitimar a existência da escola como instituição educativa. Neste contexto o Projeto Promoção da Saúde e Educação Sexual em Meio Escolar assume um importante contributo para que crianças e jovens possam viver num ambiente escolar afetivo e humanizado, no qual se proporciona um espaço diversificado de aprendizagem e saúde para todos.

Após doze anos de existência, no ano letivo de 2018-19, o projeto alterou a sua nomenclatura para Projeto Cidadania e Desenvolvimento, pois o enquadramento legal atual inclui os temas do projeto supracitados nesta nova área, na qual, além de dar ênfase aos temas da Saúde, Sexualidade e Igualdade de Género, é dado também relevo aos Direitos Humanos, Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, entre outros opcionais selecionados de acordo com os interesses dos alunos e as necessidades educativas mais prementes na escola. Esta nova perspetiva mais abrangente do ser humano como um todo, cuja formação pessoal e cívica se torna prioritária em todo o contexto educativo, merece apreço de toda a comunidade, que tem sido convidada a colaborar em diversas intervenções, tendo demonstrado grande empenho e entusiasmo.

Destaco um agradecimento muito especial à equipa de docentes, que muito tem contribuído para o sucesso de todo o trabalho desenvolvido, nomeadamente a professora Gorete Branco, o professor Luís Magalhães e a professora Maria José Carvalho. Trabalhar com esta equipa tem permitido um enriquecimento e uma abrangência muito significativa, tornando salutar a dinamização das atividades realizadas.

Humanizar os adolescentes gerando tolerância e aceitação face à diversidade, auxiliando na procura de um equilíbrio, considerando a saúde mental prioritária, continua a ser apanágio deste projeto, que supera a escolarização formal e equaciona a construção pessoal dos alunos como entes livres, pensantes e felizes.

Concluo agradecendo a toda a comunidade educativa e diversas associações governamentais e não governamentais, como a Liga Portuguesa Contra O Cancro, a Cruz Vermelha Portuguesa, O Instituto Português do Sangue e da Transplantação, O Projeto de Teatro na Escola “Tabú”, a Câmara Municipal de Guimarães, a Comissão para a Igualdade de Género, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, entre outras, toda a colaboração prestada. Congratulo-me com o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido e com a gratificante realização pessoal e profissional que tem permitido à equipa que o dinamiza. Esperamos continuar com ânimo a dignificar esta Escola, deixando saudades e boas lembranças nos alunos que sucessivamente a vão frequentando.

Texto: Alexandrina Melo