Editorial #275: “Reflexo” nos BVCT e Luís Soares
Sexta-feira, Maio 3, 2019

Ter o nome “Reflexo” num dos carros dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas era algo de que não estávamos à espera.

Quando fomos contactados pelo presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros das Caldas das Taipas dando conta de que tinham decidido reconhecer o trabalho do Reflexo, enquanto associação e jornal, ao longo destes 25 anos em prol desta região onde estamos inseridos, foi uma autêntica surpresa. Sem falsas modéstias, apesar do trabalho que fomos desenvolvendo ao longo destes anos, estava fora dos horizontes vermos esse esforço reconhecido por uma instituição como a dos bombeiros.

Não temos dúvidas que este tipo de reconhecimento nos dá força e incentiva, mas também faz aumentar a nossa responsabilidade, no sentido de cumprirmos os nossos objetivos que também são os desta terra, sermos todos cada vez melhores.

É uma honra para todos os que por aqui foram passando e deram o seu contributo ver o nome “Reflexo” num veículo dos bombeiros da nossa terra. O nosso obrigado.

No seguimento da entrevista com o líder da oposição, Manuel Ribeiro, publicamos nesta edição uma entrevista com o presidente da Junta de Freguesia, Luís Soares.

Ao longo de três páginas, passamos em revista o que foi sendo feito neste primeiro ano e meio do mandato, analisamos as relações com a Câmara Municipal e questiona-se o futuro, a curto prazo, de Luís Soares.

Luís Soares, ao longo da sua curta carreira política, não tem deixado de surpreender. Há quem o considere um dos melhores estrategas políticos socialistas vimaranenses da atualidade. Foi candidato socialista à Assembleia da República pelo distrito de Braga em 2015. Para isso, teve de ultrapassar nas preferências socialistas o habitual candidato Miguel Laranjeiro, que estava na Assembleia da República desde 2005. Conseguiu chegar à liderança da concelhia do Partido Socialista sucedendo a Costa e Silva. Venceu as eleições autárquicas de 2017, colocando um fim a um ciclo social-democrata nas Taipas. No entanto, mais do que estas vitórias políticas, o mais interessante é a forma como as consegue alcançar, só possíveis com uma estratégia consistente e com uma permanência constante no terreno.

Sobre as Taipas, Luís Soares refere que a vila tem tido grandes obras que a têm marcado nos últimos anos. Adianta que outras estão em fase de finalização dos seus projetos e consequente lançamento dos concursos para se avançar com as obras no terreno. Neste âmbito, surgem, entre outras, a Praia Seca, o antigo mercado e a requalificação do centro da vila.