Edição de 2019 da mostra Ecorâmicas tem os rios como tema central
Edição de 2019 da mostra Ecorâmicas tem os rios como tema central
© Direitos Reservados
Quinta-feira, Outubro 17, 2019

Sétima edição da mostra de cinema documental dedicada ao Ambiente, começa dia 24 e decorre até dia 27 de outubro. Os recursos hídricos são o tema central desta edição onde, para além do cinema, tem também programadas conversas.

Começa quinta-feira, 24, mais uma edição da Ecorâmicas – Mostra de Cinema Documental sobre Ambiente e Sociedade. O programa, que decorre até domingo 27, inclui além da mostra de cinema, conversas com alguns especialistas sobre o tema da mostra, este ano dedicada aos rios.

A sétima edição começará então na quinta-feira, com a projeção de dois filmes – a curta “Um Rio”, seguida de “DamNation – Malditas Barragens”, sobre o impacto de grandes barragens e as mudanças que estão ser defendidas em resposta, nos EUA, com vista à remoção destas estruturas e à libertação dos rios.

Esta primeira sessão decorrerá na sede do Cineclube de Guimarães, com início marcado para as 21h30. A mostra Ecorâmicas irá distribuir-se por dois outros locais da cidade. Na sexta-feira, a iniciativa decorre no anfiteatro da Universidade do Minho, passando depois para as instalações da Fraterna, no sábado e no domingo.

Antes da mostra de cinema a associação Associação Vimaranense para a Ecologia organiza também uma caminhada pelas margens do Rio Selho, entre Creixomil e Fermentões. Esta será outra forma adicional para chamar a atenção para o problema da poluição da água dos rios. A iniciativa está marcada para o dia 20, com início às 8h45 e partida junto à Horta Pedagógica.

À semelhança de edições anteriores, a Ecorâmicas convoca alguns especialistas para sessões de debate sobre os temas em discussão. Na sexta-feira, é esperada a presença de Pedro Teiga, especialista na reabilitação de rios e ribeiras. No sábado, estará na Fraterna Rui Cortes, do Laboratório de Ecologia Fluvial da UTAD.

Estas conversas decorrem logo a seguir à exibição dos filmes. E são ao todo dez filmes programados (com seis curtas metragens), todos com perspetivas próprias sobre os rios, com as suas forças, mas também com as ameaças de que são alvo.

Além de “DamNation – Malditas Barragens”, na sexta-feira projeta-se “Sabor da Despedida”, um filme realizado por Ivo Canelas sobre o processo de transformação deste rio de Trás-os-Montes. No sábado “Blue Heart” retoma o tema das barragens do filme do dia de abertura. No último dia, mostra-se “Rio Azul: Pode a Moda Salvar o Planeta?”, sobre a relação dos recursos hídricos com a indústria têxtil.