PUB
Edgar Morin esteve em Guimarães e falou menos de cinco minutos
Edgar Morin esteve em Guimarães e falou menos de cinco minutos
© Direitos Reservados
Quinta-feira, Novembro 21, 2019

Após ter gerado grandes expectativas, que se traduziram na necessidade de utilizar a grande sala do CC Vila Flor, o filósofo de 98 anos não conseguiu discorrer sobre o tema que o trazia por se apresentar debilitado fisicamente.

Após de ter sido adiada de quarta-feira, 20 de novembro, para o dia seguinte, a conferência com o filósofo e sociólogo francês Edgar Morin foi transferida para o grande auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF). Apesar das grandes expectativas, a intervenção de Morin não chegou a durar cinco minutos.

Poderia acreditar-se que o “génio” de Edgar Morin, como foi classificado por Francisco Teixeira, elemento de uma das instituições organizadoras, fosse capaz de transmitir toda a sua mensagem em tão curto espaço de tempo. O filósofo de 98 anos, que começou por se dirigir à plateia em português, ficou-se por considerações sobre as afinidades que mantinha com Portugal.

Edgar Morin esteve inicialmente no Porto para participar na apresentação do livro de Isabelle de Oliveira – “O Devir da Lusofonia”, que prefaciou. Devido a uma tendinite aguda no pé esquerdo que terá sofrido, a sessão marcada para Guimarães, onde viria expor sobre “as complexidades e desafios do mundo contemporâneo” foi adiada.

Anunciada no passado dia 12 de novembro, a sessão estava inicialmente marcada para o Centro Internacional das Artes José de Guimarães. As inscrições foram recebidas em grande número e no dia 14 a organização deixou de receber inscrições, tendo sido obrigada a transferir a sessão para o grande auditório do CCVF.

A vinda de Edgar Morin a Guimarães partiu de uma iniciativa conjunta da ASMAV – Associação Artística Vimaranense e do Município de Guimarães.