Domingos Bragança acusa ICOMOS de estar em contradição sobre o Parque Camões
Domingos Bragança acusa ICOMOS de estar em contradição sobre o Parque Camões
Quinta-feira, Outubro 19, 2017

Domingos Bragança diz que a comissão portuguesa do ICOMOS está em contradição sobre a instalação de um parque de estacionamento de 400 lugares na Caldeiroa. No final da reunião de Câmara, o edil disse que os dois vice-presidentes do organismo consultor do Comité do Património Mundial para a implementação da Convenção do Património Mundial da UNESCO aprovaram a obra em missão oficial. Mas a presidente Maria Ramalho, a quem acusa de ter “desrespeitado Guimarães”, deu um parecer não positivo à obra.

Uma coisa é certa: a obra do Parque Camões deverá arrancar já na próxima semana. Mas há munícipes que estão contra a obra e que não baixam os braços, realizando Assembleias Populares, como a que ocorreu no passado sábado, na Caldeiroa. Reivindicam que, em vez de um parque de estacionamento, o interior da Caldeiroa dê origem a um parque de fruição pública, preservando a flora que lá de encontra.

Um dos argumentos apresentados é um parecer emitido pela comissão portuguesa do ICOMOS, entidade consultora do Comité do Património Mundial para a implementação da Convenção do Património Mundial da UNESCO. Até agora, a Câmara Municipal de Guimarães ainda não disponibilizou esse documento: Domingos Bragança diz que só o fará quando todo o processo tiver terminado e tiver reunido com a presidente daquele organismo, Maria Ramalhos, e os vice-presidentes Ana Paula Amendoeira e José Aguiar.

“Gostava de reunir em conjunto a presidente do ICOMOS e os seus vice-presidentes de modo a que seja sanado esta situação que é um contraditório do próprio ICOMOS”, afirmou o presidente da autarquia, explicando que “os dois vice-presidentes Ana Paula Amendoeira e José Aguiar visitaram Guimarães este ano que acompanham no processo de classificação a património mundial desde antes de 2001. Vieram em missão oficial e nas reuniões que tiveram comigo deram o seu aval à construção do Parque Camões”.

O presidente da autarquia vai mais longe, referindo que Maria Ramalho enviou o parecer por e-mail, e que a mesma “desrespeitou Guimarães”: “A presidente do ICOMOS deveria ter reunido comigo e mostrado porque é que estava com tanto desacordo e porque é que reuniu com outras duas pessoas aqui em Guimarães e não reuniu comigo”, sublinhou.

O assunto foi despoletado na primeira reunião de Câmara deste novo mandato, pela voz do vereador da Coligação Juntos por Guimarães, Ricardo Araújo, que instou o presidente a mostrar o parecer emitido pelo ICOMOS.