PUB
Dimensão de Caldas das Taipas XXIV: Escolas III
Quarta-feira, Setembro 25, 2019

Agora, conforme prometido, acerca de escolas e do ensino as notícias ao redor de Caldas das Taipas no século XIX, que ao longo do tempo, o ócio me foi permitindo.

06-12-1811 Posse da escola de 1.as lettras em S. Cláudio do Barco, vaga por óbito de Manuel José, dada em acto de câmara a José Alvares Guimarães, que havia sido nomeado por provisão passada pela Real Junta da Directoria Geral dos Estudos de Coimbra a 8 de Novembro d’este anno de 1811.

12-08-1812 Provisão mandando pagar os ordenados, a rasão de 60$000 reis por anno desde 6 de Dezembro de 1811 a José Alvares Guimarães, professor proprietário de primeiras lettras da escola de S. Cláudio do Barco.

10-12-1813 Provisão concedida por despacho, permutando para a escola primária de S. Martinho de Sande, o professor da de Brito, José Alves Guimarães.

02-01-1814 Foi dado posse a José Guimarães, morador no lugar da Taipa, freguesia de S. Thomé de Caldellas, permutado na qualidade de mestre proprietário para a primeira escola d’este termo com exercício em S. Martinho de Sande.

16-02-1814 Em sessão de vereação foi dado posse de cadeira da segunda escola d’este termo com exercício em S. João de Brito, ao padre Antonio José da Silva, d’esta freguesia, que por provisão da Real Junta da Directoria Geral dos estudos e escolhas dos reinos e dominios, passada em Coimbra a 25 de Janeiro de 1814, fôra permutando na qualidade de mestre proprietário que era da primeira escola, de S. Martinho de Sande.

29-11-1815 A sede da cadeira das Primeiras letras de São Martinho de Sande é mudada para Santo António de Caldas das Taipas. Era professor José Alves Guimarães.

03-06-1816 Nasce na freguezia de S. Martinho de Sande, Manuel José Ferreira Marques, que veio a fallecer em Dezembro de 1873, e cuja viuva D. Maria Alexadrina, natural do Rio de Janeiro, não só lhe applaudia em vida o projecto que elle concebera de dotar a terra do seu nascimento com uma escola primária, como também doou o edifício e jardim annexo; a Sociedade Martins Sarmento, rendendo gratidão a esta senhora nomeou-a sócia honorária.

24-01-1829 É relacionado num trabalho da Junta da Directoria Geral dos Estudos, o nome do taipense José Alves Guimarães como sendo um mestre-escola que leccionava as primeiras letras na freguesia de Caldellas.

18-04-1834 A Junta de Freguesia de Caldellas aprova a criação de um Curso Nocturno para adultos e rapazes. Apresenta o rol paroquial, que diz existirem na freguesia, 105 rapazes com mais de 12 anos, todos analfabetos, por não terem podido a seu tempo obter a instrução, de que tanto carecem. Por serem na maior parte lavradores, caseiros, jornaleiros, garfeiros, etc., que logo de tenra idade precisarem do dia para ganhar o seu sustento, devido a seus pais não lho poderem dar, pelo ganho de suas próprias mãos. Pediam que as aulas fossem à noite.

13-07-1869 Por despacho do ministro do reino: Francisco Pedro da Costa Rocha Vianna, «o Venancio», professor de grammatica portuguesa e latina, e de latinidade n’esta cidade, jubilado com seu ordenado por inteiro, ficando sujeito a cabimento. O Pe. José Maria da Silva Amorim, provido por mais três annos na cadeia de ensino primário que tem regido em S. João de Brito.

23-02-1876 Na freguesia de S. Salvador de Briteiros realisou-se a inauguração da escola primária para o sexo masculino, celebrando-se na igreja parochial um solemne Te Deum e sermão pelo Ribas, de Bastos, d’onde viera expressamente, a que assistiram bastantes convidados; a que se seguiu a matricula de bastantes alumnus, lavrando-se immediatamente uma acta que foi assignada pelos assistentes; ultimou-se com um apiparo jantar aos convidados em que se levantaram muitos brindes a João Antunes Guimarães, a quem devia este grande melhoramento.

17-04-1879 Decreto creando uma cadeia de ensino primário para o sexo feminino, no lugar das Gaias, freguezia de S. Martinho de Sande, com o subsídio escolar e casa para residência da professora pela junta da parochia e casa para exercicio da aula pelos doadores, a que se refere o decreto de 2 de Maio de 1877, que se estabeleceu uma cadeira para o sexo masculino no mesmo lugar das Gaias.

16-10-1882 Reunião da Junta de Parochia de Caldellas, estando presentes: o Presidente, João Cândido Lamosa, Vogais, Domingos Pinto Maya, Francisco José da Costa e Silva e Luís António Gomez. Na discussão do orçamento foi aprovado lançar 10% sobres as contribuições gerais do Estado, sendo 3% para a Instrução Primária e o restante para o orçamento.

20-07-1887 O Ministro das Obras Públicas prometeu a criação das Escolas Práticas de cutelaria, serralharia e tecelagem de linho e algodão.

12-03-1888 Manuel José Pereira apresenta-se ao Presidente da Junta com uma carta da Câmara Municipal de Guimarães, que como professor primário ia reger a aula criada na freguesia, e em virtude dessa nomeação o dito senhor tomou posse da casa, e nesse dia começara a funcionar a aula.

19-04-1888 Reunião da Junta de Parochia de Caldellas, onde compareceram: Vice-Presidente, Francisco José da Costa e Silva; vogais, João Ferreira Guimarães e José Joaquim Ferreira Monteiro, substituto. O Vice-Presidente informa que tendo falecido no dia 15 de Abril corrente, o Presidente Padre António José Gonçalves foi aprovado um voto profundo de sentimento. Em virtude disto foi feita a eleição do Presidente desta corporação. Saiu Presidente: Francisco José da Costa e Silva. Para Vice-Presidente saiu José Joaquim Ferreira Monteiro. Recebeu-se ofício do Dr. Luís de Barros Faria e Castro a informar que estava nomeado pela Junta Escolar para Delegado Paroquial. Recebeu-se ofício da Comissão Municipal a mandar proceder ao recenseamento das crianças em idade escolar.

17-05-1888 A junta de Caldellas delibera que a percentagem necessária para as depesas de paróquia para o ano de 1889 e juntamente para as da Instrução Primária, propunha que fosse de 27% 

03-10-1889 José Machado Mendes oferece 1:000$000 réis para a construção da Escola Primária, 400$000 réis já e 600$000 réis, quando a obra estiver começado. Foi lavrado pela Junta de Caldellas voto de louvor pelo donativo.

05-06-1890 Francisco José Ferreira Pinto e José António Gonçalves doam à Junta de Parochia de Caldellas, 1.848 m² de terreno, na Bouça Monte Além, para a construção da Escola Primária.