PUB
Dia Internacional das Pessoas com Deficiência: E quem cuida dos cuidadores?
Dia Internacional das Pessoas com Deficiência: E quem cuida dos cuidadores?
Sábado, Dezembro 2, 2017

Há um projeto em Guimarães que se dedica a prestar apoio aos cuidadores informais de pessoas dependentes. Chama-se “Nós, Cuidadores”, é levado a cabo pela Plural & Singular e já vai no segundo ciclo de sessões de apoio em grupo.

Maria do Céu Silva, 58 anos, cuida da filha que ficou com 95% de incapacidade após um acidente de viação. Foi há 18 anos e, desde então, que Maria do Céu deixou a pequena confecção que geria para se dedicar exclusivamente a ser cuidadora. Encaixa no perfil predominante desta população: existem quase 90 mil cuidadores informais em Portugal, um país que assenta os cuidados a dependentes maioritariamente na família. A maioria são mulheres.

O objetivo desta iniciativa da Plural & Singular passa sobretudo por contribuir para a redução do stress e burnout (esgotamento físico e mental intenso) que estas pessoas enfrentam. É o caso de Maria do Céu: “Tive depressão, depois, com o passar dos anos, comecei a conformar-me mas sempre com momentos de muita tristeza e cansaço”. “Com este apoio, passei a perceber que há mais pessoas na minha situação e as sessões têm-me ajudado muito”, relata.

Marta Freitas Figueiredo, psicóloga clínica responsável por orientar as sessões, sublinha a importância da continuidade do apoio dado aos cuidadores: “É necessário acompanhar estas pessoas e monitorizar o seu estado mental e mesmo físico”. Também Sofia Pires, da Plural & Singular, refere que “o apoio ao cuidador é importante, nomeadamente, quando se trata de cuidadores informais, normalmente os familiares diretos da pessoa com deficiência e, como tal, têm interferência direta nas decisões e qualidade de vida da mesma”.

Sinal disso é o facto de todas as pessoas, que, até ao momento, foram contactadas, “aceitaram participar e assumem a necessidade de um apoio com estes contornos”, relata a responsável. “A adesão tem sido ótima, e mesmo os cuidadores que não têm a quem deixar o dependente ou os que têm disponibilidade apenas ao fim de semana terão oportunidade de participar. Não queremos deixar ninguém de fora, só vamos ter que adiar”, refere.

Em todo este processo há um passo fulcral: a sinalização, “em que todos devem participar”. “Não há uma listagem destas pessoas, por isso as unidades de saúde, as entidades de apoio, as juntas de freguesia, o município e até mesmo as paróquias são essenciais para se conseguir chegar a estas pessoas”, apela Sofia Pires, que também está a trabalhar no sentido de ter financiamento para esta iniciativa. “Todo o apoio é bem-vindo”, realça, adiantando que a organização está a candidatar-se a vários financiamentos, estão a apostar na venda de rifas e a contactar entidades e empresas que aceitem patrocinar o projeto na lógica de apadrinhamento a cuidadores.

“Nós, os cuidadores – Sessões de grupo para cuidadores informais”, uma iniciativa integrada no projeto mais alargado “Sexualidade&Afetos”, da Plural & Singular, está, idealmente, desenhado para ter a duração de três meses, com uma sessão semanal de duas horas, correspondendo a um total de 14 sessões, somando 28 horas de apoio.

No final do primeiro ciclo da iniciativa, as participantes tiveram direito a um mimo e foram a uma sessão de maquilhagem.

Município assinala evento durante seis dias

O Fórum Municipal das Pessoas com deficiência, órgão informal de debate, consulta e informação que funciona com o apoio do Município e que é integrado pelas instituições e agrupamentos de escolas que no concelho desenvolvem atividade da área da de deficiência, junta-se a estas comemorações com um programa alargado de iniciativas. Desde o dia 29 de novembro até terça-feira, dia 05, elementos do Fórum vão realizar debates nas escolas, dando a conhecer as suas histórias de vida e apresentando testemunhos de alunos que frequentam o Centro de Formação da Cercigui.

No dia 6 de dezembro, às 10h30, realizar-se-á a Marcha Inclusiva, com a ampla participação das pessoas integradas nas respostas sociais e nas escolas, que apelarão, uma vez mais, para a necessidade de se observarem os seus direitos. Esta Marcha partirá do Paço dos Duques, atravessará algumas das principais artérias da cidade e concluirá o seu percurso no Largo da Câmara Municipal, com uma largada de pombos e a leitura do Pregão. De 7 a 10 de dezembro, a comunidade de jovens surdos realiza em Guimarães o seu Encontro Nacional, associando-se assim às Comemorações do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

O programa encerra no dia 11 de dezembro com a entrada no relvado dos jovens das instituições e agrupamentos de escolas com os jogadores do Vitória Sport Clube no jogo com o Clube Desportivo Feirense, permitindo assim aos jovens que participam nesta iniciativa um momento de grande satisfação.

Artigos Relacionados