PUB
Descoberta guiada
Sexta-feira, Fevereiro 6, 2009

Talvez este momento fosse mais oportuno falar sobre as arbitragens e todas as arbitrariedades que com elas ocorrem. Mas prefiro debruçar-me sobre outras questões e deixar essa conversa para outra ocasião.

O futebol tem-se tornado, ao longo dos tempos, cada vez mais táctico. Com o avançar das décadas deu-se a evolução de esquemas tácticos, novos métodos de treino, etc.

Existem de facto pessoas que são admiradoras das estruturas tácticas e de todas as suas variantes e fazem disso a essência do futebol. No meu ponto de vista, realmente, a táctica tem o seu encanto mas, por norma, fico constrangido pelos efeitos estereotipados que causa nas equipas. Ao vermos um jogo de futebol facilmente vemos equipas efectivamente bem organizadas, apesar de com elas não se vislumbrar grande espectáculo. Porque será então que isso acontece? Por norma as pessoas quando vão a um espectáculo procuram dentro da previsibilidade do mesmo serem surpreendidas, isso também se verifica no futebol. Será que é assim tão importante os jogadores serem tão rigorosos tacticamente? Para mim talvez não! Se pensarmos um bocado e olharmos para o futebol atractivo do Barcelona e dos seus intervenientes podemos perceber isso. O Ronaldinho e o Messi são dois casos que fazem levantar o estádio quando a bola chega aos seus pés. Isso acontece pela imprevisibilidade que eles dão ao jogo, nunca sabemos ao certo o que irão fazer.

Hoje em dia estamos a perder cada vez mais este tipo de jogadores e estamos a ir ao encontro de jogadores tacticamente mais disciplinados, cada vez mais estereotipados. Os grandes culpados de isso acontecer são os clubes. Estes procuram insaciavelmente o resultado rápido e a conquista de títulos sem dar tempo para as crianças crescerem. Enquanto que, há uns anos atrás, a maior parte das crianças desenvolvia o seu futebol na rua ou nos descampados cheios de buracos em que os terrenos eram extremamente irregulares mas podiam desenvolver o seu futebol (técnica e táctica), sem pressões e sem ter alguém aos berros a dizer “rápido, rápido, passa a bola” ou a dizer para fazer isto ou aquilo, os jogadores eram livres de pensar pelas suas cabeças e de executar da forma como percepcionavam mais adequada. O futebol de rua é rico do ponto de vista da aquisição de habilidades e da aprendizagem por tentativa erro.

Existem algumas metodologias que permitem aos formadores proporcionar às crianças um ambiente semelhante ao futebol de rua, mas para isso, uma das maiores virtudes que os clubes e os formadores têm que ter é paciência. A descoberta guiada deve uma metodologia a recorrer para este caso, apesar de não estar ao alcance da maior parte dos formados pois para a utilização desta metodologia necessária ter grande conhecimentos princípios de jogo, da faixa etária dos atletas e dominar perfeitamente o feedback a utilizar, principalmente o feedback interrogativo.

A descoberta guiada talvez seja a primeira etapa ou a ponte para a periodização táctica.