PUB
Covid-19: secretário de estado considera que o processo de vacinação “está a correr bem”
Covid-19: secretário de estado considera que o processo de vacinação “está a correr bem”
Bruno José Ferreira
Quarta-feira, Dezembro 30, 2020

O secretário de estado da mobilidade, Eduardo Pinheiro, esteve esta quarta-feira em Guimarães, enquanto coordenador da região norte no âmbito da Declaração do Estado de Emergência, para acompanhar o plano de vacinação contra a Covid-19.

Eduardo Pinheiro esteve no Hospital Senhora da Oliveira e também na Unidade de Saúde Familiar Vimaranes, em Urgezes, a sentir o pulso à vacinação que decorre aos profissionais de saúde nesta primeira fase.

Nas instalações da unidade hospitalar vimaranense, que esta terça-feira começou a vacinação aos seus profissionais de saúde, o secretário de estado deu conta que “as coisas estão a correr muito bem” mesmo tendo em conta “toda a complexidade de um processo como este, de logística, com várias entidades envolvidas”.

Sendo este um processo que se desenrola por todo o país e que chegará a todos os profissionais de saúde, este início a norte serve para, de forma simbólica, sinalizar as unidades hospitalares que se viram mais pressionadas.

“Serve para dar nota simbolicamente dos hospitais que tiveram situações mais complicadas, em concelhos com taxas de incidência altíssima, onde houve uma grande pressão sobre os profissionais de saúde e dar nota desta prioridade, no fundo esta segurança, estas condições de continuar o seu trabalho, sabendo que teremos vários meses difíceis pela frente”, frisou Eduardo Pinheiro.

Esta primeira fase, em que serão vacinados todos os profissionais de saúde, decorrerá até ao final de março, estando previsto para a próxima semana iniciar-se a vacinação nos lares de idosos.

O secretário de estado referiu ainda que a percentagem de profissionais que não pretende ser vacinada é residual, ressalvando que a maioria pretende ser vacinada. “As pessoas não são obrigadas a ser vacinadas e, como em qualquer processo, é natural que as pessoas tenham receio. O facto de termos tantos profissionais de saúde a ser vacinados é um bom exemplo e vai dar segurança a que a maioria dos portugueses queira ser vacinada”.