PUB
Covid-19: o que precisa de saber sobre a situação em Caldas Taipas
Covid-19: o que precisa de saber sobre a situação em Caldas Taipas
Quinta-feira, Março 12, 2020

É inevitável falar do assunto. O Covid-19 é o tema do momento, não só em Portugal, mas à escala planetária. A Organização Mundial de Saúde classifica já a situação como uma pandemia, elevando o grau de gravidade para um ponto superior à epidemia, num sinal claro do cenário que estamos a atravessar.

Obviamente, em Caldelas toda esta situação tem a sua repercussão. Os clubes desportivos têm a sua atividade suspensa e não irão disputar qualquer competição este fim de semana. As escolas continuam a funcionar, mas adotando medidas especiais de contingência. Por exemplo, o Agrupamento Escolar das Taipas criou uma linha de apoio específica para abordar questões relacionadas com o Covid-19 e vedou já o acesso às suas instalações a clubes e associações.

No Centro Social das Taipas o dia a dia tem sido pautado pela tranquilidade, sendo seguidas as “recomendações das entidades competentes”. O protocolo de higienização e desinfeção foi reforçado também com “um controlo rigoroso das entradas”.

A feira semanal não se vai realizar, pelo menos nas próximas três semanas e o polo das Taipas da Biblioteca Municipal Raúl Brandão encontra-se encerrado por indicação da Câmara Municipal de Guimarães, que suspendeu os eventos públicos e encerrou equipamentos públicos.

Os efeitos fazem-se também notar na Igreja Católica, uma vez que as atividades de catequese encontram-se suspensas e, por decreto do Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga as Visitas Pascais foram canceladas. Para já as eucaristias ainda não foram suspensas, mas caso seja necessário será seguido esse caminho.

Como medidas de prevenção a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Taipas encerrou por tempo indeterminado as piscinas e a Cooperativa Taipas Termal suspendeu os tratamentos no balneário termal.

Por último, saiba que os Bombeiros receberam ações de formação em tempo oportuno, quando o coronavírus estava ainda longe de atingir as proporções atuais no nosso país. No quartel há já salas devidamente preparadas para fazer isolamento e um plano de contingência adequado para servir a população.

As recomendações têm sido transmitidas à exaustão, mas ainda assim nunca é de mais lembrar. O Reflexo falou com Carlos Alves Pinto, responsável farmacêutico da Farmácia Vieira e Brito, que indicou as principais diretrizes sobre esta temática. “O principal é transmitir uma mensagem de tranquilidade. Estamos perante um problema de saúde pública e ninguém pode ignorar isso. Por isso, é importante realçar que toda a população tem um papel ativo, temos de confiar nas nossas autoridades de saúde e, mais importante até do que isso, é acatar as recomendações que estão a ser transmitidas. Prevenção é a palavra chave”, aponta.

Encontra-se a decorrer uma sondagem na página de facebook do Reflexo com a questão ‘Devem as autoridades nacionais proceder ao encerramento dos estabelecimentos escolares?’.  Com mais de três centenas e meia de votantes o ‘SIM’ leva, claramente, vantagem.

Todas as notícias sobre o Covid-19 nesta ligação.