PUB
Contratualizados apoios municipais ao desporto para 2021
Contratualizados apoios municipais ao desporto para 2021
Arquivo Reflexo
Quarta-feira, Fevereiro 10, 2021

A verba municipal, de 1,46 milhões de euros, destina-se sobretudo à melhoria das instalações e à formação. Serão ainda distribuídos 673 mil euros referentes a candidaturas de anos anteriores.

Os contratos-programa de apoio ao desporto para este ano já estão assinados, depois de uma sessão decorrida nesta quarta-feira, com a presença do presidente da Câmara, Domingos Bragança, e do vereador com o pelouro do Desporto, Ricardo Costa. Este apoio “é fundamental para a sustentabilidade financeira das instituições, principalmente neste período de pandemia em que se perderam receitas devido à falta de atividade”, vincaram os responsáveis, de acordo com a nota de imprensa do município.

Do bolo de 1,46 milhões de euros disponível para a época 2020/21, aprovado na reunião do executivo municipal de 25 de Janeiro, 934.300 (64%) destinam-se à melhoria das instalações desportivas. Entre os clubes contemplados, destacam-se o Vitória, com a primeira de três tranches de 90 mil euros para o miniestádio que vai acolher as equipas B e sub-23 de futebol, na academia, e o UCRD Guardizela, com a primeira de duas parcelas de 75 mil para a aquisição de terrenos.

Entre as candidaturas aprovadas, destacam-se ainda os apoios aos novos relvados sintéticos do Sandinenses, do Longos, bem como do Panteras de Matamá e do Nespereira – tranches anuais de 50 mil euros com um horizonte de quatro anos. Já o CC Taipas vai receber a primeira de três tranches anuais de 45 mil euros para melhorar os balneários e a iluminação do Campo do Montinho, enquanto o Santo Estêvão vai alargar o campo de jogos graças a duas parcelas de 37.500 euros. Destaque ainda para o Pevidém, que vai dispor de 50 mil euros neste ano para iniciar a construção de novos balneários e de uma nova bancada no seu campo, e para o Polvoreira, que vai receber igual valor neste ano para arrancar com nova sede social e novos balneários.

Já a formação desportiva arrecada 32% do valor disponível (468 mil euros), com o Vitória e o Moreirense, enquanto clubes com mais atletas inscritos, a receberem os valores mais altos: 120 mil para os vitorianos e 20 mil para os cónegos. O CAR Taipense recebe 15 mil euros, cotando-se como a quinta instituição com mais apoios à formação em Guimarães e a primeira no norte do concelho. O Sandinenses e o Taipas recebem 10 mil euros cada um, enquanto o Clube de Ténis de Mesa das Taipas arrecada 2.500, o Núcleo de Atletismo das Taipas 2.000, o Clube de Rope Skipping das Taipas 2.000 e o Clube de Ténis das Taipas 1.000.

A Câmara Municipal disponibiliza ainda 52.500 euros para eventos desportivos e 7.100 para deslocações ao estrangeiro, havendo ainda dinheiro que transita de épocas anteriores. No rope skipping, os Molinhas vão receber 1.500 euros pela deslocação ao campeonato do mundo no Canadá, cancelado em 2020, devido à pandemia de covid-19. Já o Sandinenses vai receber 1.250 euros a propósito da Guimarães Cup, o Núcleo de Atletismo das Taipas 1.000 euros para o Grande Prémio de Atletismo, e o Moto Clube das Taipas 1.750 para a concentração motard.

Durante a sessão de assinatura, os presidentes do GRUFC, Manuel Paulo Ribeiro, do GD Selho, Manuel Pereira, da Associação Juvenil Karaté Portugal, Filipe Ferreira, e do Guimagym, Luís Rodrigues, frisaram que os apoios são essenciais para os clubes manterem a atividade no futuro.

Candidaturas de anos anteriores valem 673 mil euros em 2021

Neste ano, a Câmara Municipal vai ainda distribuir 673 mil euros relativos a contratos-programa desportivos celebrados em anos anteriores. Mais de 500 mil euros dessa verba destinam-se às instalações desportivas. A nova vila desportiva do Moreirense é o equipamento que mais recebe – 200 mil euros relativos à segunda de três tranches. Segue-se o Vitória, com a segunda e última tranche de 165 mil euros para a melhoria dos balneários na academia de futebol e no pavilhão. Também o Clube de Ténis das Taipas se destaca nesta matéria ao receber a segunda parcela, de 48 mil euros, para obras nos balneários e nas zonas de apoio.